Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, já ouve um aumento de 17% nas denúncias registradas na última semana de confinamento. Especialistas em proteção feminina, como a ONU Mulheres, teme que infelizmente esses números possam crescer ainda mais.

Com a quarentena instaurada em quase toda a população do mundo, devido ao Covid-19, o novo corona vírus, temos visto o melhor e o pior do seu humano. O isolamento social despertou diversas ações de solidariedade e também muitas preocupações, como o aumento de denúncias por violência doméstica.

A quarentena não é fácil para ninguém e por isso a ajuda coletiva tem sido um dos focos para passarmos por essa pandemia de maneira mais leve. Uma das ações muito compartilhada e replicada em condomínios, foi a de oferecer ajuda aos moradores idosos e do grupo de risco para que eles não saíssem de seus apartamentos.

Inspirado nessa atitude, surgiu um novo cartaz, só que desta vez oferecendo ajuda às mulheres que sofrem agressão de seus companheiros e estão isoladas com os mesmos dentro de casa: “Corre para cá. Você não está sozinha!

View this post on Instagram

Já há registro de um aumento de MAIS DE 50% de casos de violência doméstica durante o confinamento por causa da Covid-19. . Só uma mulher que foi (ou é) vítima de violência sabe como é desesperador e aterrorizante não ter paz dentro de casa. . É por isso que a gente tá aqui! . Um vírus fez o mundo parar e o confinamento (como medida de enfrentamento) compeliu muita gente a olhar para o outro, em solidariedade, se disponibilizando a fazer uma compra no supermercado ou tocando uma música bonita pra alguém ouvir de outra janela. . Esse mesmo vírus nos faz testemunhas de crimes bárbaros na casa ao lado – e não temos mais como fingir que não estamos vendo/ouvindo. Estamos em casa. E todo mundo sabe disso. . Esse é recadinho é pra que os vizinhos agressores saibam. "Estamos atentos." . Esse recadinho é pra que nossas vizinhas saibam. "Você não está sozinha." . A gente liga para o 180, a gente chama a polícia e, se precisar, a gente abre a porta da nossa casa. . Precisamos fazer algo a respeito. Ninguém é uma ilha. Muito menos uma mulher vítima de violência. Somos todos rede de apoio. E, se ninguém havia dito isso ainda, a gente tá aqui pra dizer. #somostodosrededeapoio #oquenaonosdisseram #oqnnd #estamosatentos #vocenaoestasozinha

A post shared by | O Que Não Nos Disseram | (@oquenaonosdisseram) on

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, já ouve um aumento de 17% nas denúncias registradas na última semana de confinamento. Especialistas em proteção feminina, como a ONU Mulheres, teme que infelizmente esses números possam crescer ainda mais.

Aumento denúncias violência contra a mulher no mês de Março
Fonte: Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

A ministra Damares Alves informou que já esperava por isso, já que a maioria dos agressores são próximos das vítimas e convivem no mesmo lar: “Durante a quarentena, estamos reforçando os mecanismos que ajudam essas mulheres a denunciar”, anunciou em nota.

No momento em todos estamos em casa, é impossível que ninguém escute nada. Não ignore uma vida em risco! Violência contra a mulher é crime e você deve denunciar ligando 180.