A vida é muito complicada, mas também é muito simples. Ame quem ama e fique com esta pessoa”.

É com uma das frases marcantes de Anne Shirley, que começo este texto para falar sobre a série Anne with an E, da Netflix, que conquistou milhares de fãs com uma história cativante e emocionante.

Série Anne with an E

A terceira temporada de Anne with an E chegou ao catálogo do streaming no dia 03 de janeiro, e infelizmente veio para nos despedirmos de Anne e todos os outros personagens queridos de Avonlea.

Se você, assim como nós, está sofrendo com o cancelamento da série, veja esse post com 10 seriados para ver depois de Anne with an E e que você provavelmente vai gostar.

Por aqui, vamos contar por que essa série da Netflix é tão querida e especial, e se você é fã de Anne with an E e/ou quer saber mais sobre a jovem ruiva, continue a leitura. Mas atenção: o texto contem spoilers!

Anne with an E: Uma obra de arte entregue em forma de abertura!

Os elogios a série começam pela incrível abertura, que é uma obra de arte para apreciarmos em cada novo episódio.

Dirigida por Alan Williams, do Studio Imaginary Forces e aclamado também pela direção da abertura de Stranger Things, a abertura de Anne with an E traz belas e poéticas ilustrações de Anne, baseadas em pinturas à óleo sobre linho e madeira, do artista Brad Kunkle. Conforme elas são apresentadas, somos embalados pela música Ahead by a Century, da banda canadense The Tragically Hip.

A abertura de Anne with an E simboliza as fases vividas por Anne ao longo da história. Nela se passam as quatro estações, iniciando no inverno, simbolizando o passado de Anne no orfanato e em lares abusivos, e vai mudando para as estações mais floridas e iluminadas, simbolizando a nova vida da órfã em Green Gables.

A arte em que a Anne está fazendo o juramento do dedinho com ela mesma, simboliza a auto aceitação de suas personalidades: “De um lado, o cabelo dela é um pouco mais trançado, e do outro lado as tranças são um pouco mais soltas e selvagens. Simboliza as duas naturezas de Anne”, explicou o diretor Alan Willians.

Abertura Anne with an E

Também vemos frases talhadas em troncos de árvores, e todas elas foram tiradas do livro de Lucy Maund Montgomery. Confira quais são:

  • My life is a perfect graveyard of buried hopes – “Minha vida é um perfeito cemitério de esperanças enterradas”;
  • Will you swear to be my friend forever and ever? – “Você jura ser minha amiga para sempre e sempre?”;
  • But if you have big ideas, you have to use big words to express them, haven’t you? – “Mas se você tem grande ideias, você precisa usar grandes palavras para expressá-las, não precisa?”;
  • It would be lovely to sleep in a wild cherry-tree all white with bloom in the moonshine – “Seria lindo dormir em uma cerejeira selvagem toda branca de flores sob o brilho do luar”.

Frases abertura Anne with an E

Uma série a frente do seu tempo

Além da cativante e sonhadora Anne, os temas abordados em Anne with an E são o que fazem a série ser tão especial. Embora se passe no final do século 19 e início do século 20, assuntos progressistas são discutidos a cada episódio, graças ao texto adaptado maravilhosamente pela Moira Walley-Backet. Listamos abaixo alguns temas:

  • Definição de família: Anne é adotada por dois irmãos idosos que são muito criticados por serem solteiros, e juntos os três formam uma linda família, com uma relação de puro amor. Uma outra família não tradicional é formada por Gilbert e Bash, a partir do relacionamento fraterno que eles desenvolvem;
  • Feminismo: Anne, como diz a música de abertura, “está um século à frente” das outras pessoas, quando questiona (dentre outras coisas) a posição da mulher na sociedade. Além dela, tem as Mães Progressistas da primeira temporada e a professora feminista que chega na segunda. É importante ver o quanto as mulheres eram censuradas, e graças às que pensavam diferente, as mudanças foram acontecendo;
  • Bullying: Anne sofre muito bullying, tanto pelos adultos quanto pelas outras crianças, por conta do cabelo ruivo e das sardas, e é no doloroso processo de negação que ela encontra a autoestima e amor próprio;
  • Homossexualidade: a trama aborda de forma bela e sensível às questões LGBT com os personagens de Tia Josephine e Cole, mostrando como na época as pessoas precisavam viver uma vida escondida para terem a própria liberdade de serem o que quisessem;
  • Racismo: com a amizade de Bash e Gilbert, a série também traz abordagens sobre a escravidão e o racismo. Na terceira temporada também mostra o preconceito social contra índios.

O livro que inspirou a série Anne with an E

Bom, até aqui já deu para perceber que Anne with an E é uma série inspiradora e apaixonante, né? Mas agora, vamos falar de onde saiu a inspiração para produzi-la.

A série da Netflix é baseada em um dos maiores clássicos da literatura canadense, Anne of Green Gables, de Lucy Maud Montgomery (1908). O romance fez tanto sucesso que rendeu mais cinco livros focados nas histórias da Anne.

O livro foi relançado no Brasil em 2019, pelo Grupo Autêntica e a nova edição conta com uma linda capa inspirada no seriado.

Livro Anne with an E

Outras produções

Anne with an E não é a primeira adaptação da história de Anne Shirley para as telas.

Em 1985, o cineasta Kevin Sullivan, assim como a Netflix, também se inspirou na história de Montgomery e produziu a minissérie Anne of Green Gables com 3 temporadas (1985, 1987 e 2000).

Já em 2016, também foi produzido um longa com a história da ruivinha:

4ª temporada de Anne with an E: A esperança de uma continuação

Como dito no começo do texto, a 3° temporada de Anne with an E traz, infelizmente, a despedida da série para os fãs. E apesar de ter sim, bastante conteúdo que ainda poderia ser adaptado, segundo a Netflix eles não serão. A decisão foi tomada em conjunto acordo com a rede canadense CBC, de quem a plataforma de streaming comprou o direito de distribuir a produção mundialmente.

Já a criadora Moira Walley-Beckett não escondeu o seu descontentamento com o fim da série e deu uma pontinha de esperança aos fãs durante uma entrevista à revista EW, dizendo que se houver possibilidade, adoraria encerrar Anne with an E com um longa sequência.

Enquanto isso, fãs fazem petições na internet pedindo pela continuação da história.

Moira Walley-Beckett e Amybeth McNullty, criadora e protagonista de Anne with na E

Por enquanto, nos resta aceitar a session finale de Anne with an E, que com certeza sempre terá um lugar especial no coração e na memória de quem se encantou com suas 3 temporadas da Netflix.

E você, conta para a gente se acha que a série deveria continuar? E claro, não deixe de compartilhar o texto para que mais pessoas se inspirem com a Anne Shirley.