Você está pensando em investir em ações, mas não sabe como? Fique tranquilo (a)! Aqui você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre a bolsa de valores, tirar todas as suas dúvidas e aprender a aplicar o seu dinheiro com sabedoria.

A princípio, investir na bolsa de valores pode parecer muito complicado e confuso, mas saiba que não é bem assim. Entender o conceito e a dinâmica do mercado de ações, deixa o processo fluido e você só tem a ganhar.

Aqui no Brasil, o número de investidores (as) em ações tem crescido cada vez mais. Home Broker, Blue Chip, Small Cap e outros termos do mercado, também estão se tornando mais populares.

Por isso, preparamos este guia para você aprender como investir na bolsa de valores com segurança, e também entender tudo sobre esse universo das ações. Vamos lá?

Afinal, o que é a bolsa de valores?

A bolsa de valores é a instituição em que as ações são negociadas, e você pode comprar e vender seus papeis. A função da bolsa de valores é fazer com que as negociações aconteçam da melhor forma, com agilidade e segurança para ambas as partes.

Antigamente, a bolsa de valores era associada àquela bagunça com pessoas gritando o tempo todo e o telefone tocando sem parar. Você com certeza já viu essa cena em algum filme ou até mesmo na TV. Porém, hoje em dia essa realidade mudou e tudo é feito de forma 100% eletrônica e automática.

Quando uma empresa quer abrir o seu capital e entrar na bolsa de valores, ela faz o IPO. Você sabe o que é isso?

O que significa IPO?

IPO é a sigla de Initial Public Offering, que significa Oferta Pública Inicial, ou seja, é quando uma empresa inicia as suas negociações na bolsa de valores.

O que significa IPO?

Este cenário é conhecido como Mercado Primário, que é quando o (a) investidor (a) compra as ações direto com a empresa.

E o que são ações?

Todas as empresas são formadas por um conjunto de ações, sendo assim, uma ação equivale a um “pedaço” da empresa, uma porcentagem de todo o seu capital.

Quando você investe em ações, se torna um (a) sócio (a) daquela empresa.

As ações podem ser compradas no IPO, como dito acima, mas também podem ser negociadas entre investidores (as), que compram uns (umas) dos (as) outros (as). Este cenário, então, é conhecido como Mercado Secundário.

Caso ainda esteja confuso até aqui, calma! A Nathalia Arcuri do Me Poupe!, fez um vídeo muito didático explicando sobre renda variável. Confira:

Qual é a bolsa de valores do Brasil?

Qual é a bolsa de valores do Brasil?

A bolsa de valores do Brasil é a B3, e ela foi fundada em 1890, pelo então presidente Emílio Rangel Pestana, com o nome de Bolsa Livre do Brasil. Porém, em decorrência do encilhamento, ela fechou precocemente em 1891.

Quatro anos mais tarde, em 1895, surgiu a Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo, que muitos anos depois mudou seu nome para Bolsa Oficial de Valores de São Paulo, a Bovespa.

Nos anos 60, cada estado do Brasil tinha a sua própria bolsa de valores, mas nos anos 2000, a Bovespa e a BVRJ – Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, lideravam o mercado. Com isso, as nove bolsas que permaneciam ativas no país foram unificadas em São Paulo. Eram elas de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Brasília, do Extremo Sul, Santos, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Paraná e Regional.

Foi em 2005 que o pregão-viva voz chegou ao fim, e a bolsa de valores se tornou 100% eletrônica. E no ano seguinte, começou o pregão eletrônico doméstico. O que deu fim a bagunça que retratava o mercado financeiro, como já foi dito.

Em 2007, a própria Bovespa abriu o seu capital e passou a ter suas ações negociadas na bolsa também. E um ano depois, se uniu a Bolsa de Mercadorias e Futuro, a BM&F, passando então a se chamar BM&FBovespa.

Recentemente, em 2017, a BM&FBovespa incorporou a CETIP (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos), se tornando, por fim, a B3 – Brasil, Bolsa, Balcão. Seu principal índice, no entanto, não mudou de nome e permanece como Ibovespa – Índice Bovespa.

Investidores no Brasil

Investir na em ações tem caído no gosto dos (as) brasileiros (as), e os dados da B3 provam essa realidade em números.

Segundo o relatório, o número de investidores pessoa física aumentou em 42% em abril deste ano, em relação ao mesmo período de 2019. Portanto, agora a bolsa de valores do Brasil soma 2,38 milhões de CPFs cadastrados. Contudo, o mesmo CPF pode ser contato repetidas vezes, caso esteja ativo em contas de diferentes corretoras.

Deste total, 76,16% são homens e 23,84% são mulheres. São Paulo é o estado com maior representatividade, com 49,6% de ativos, sendo 936 mil pessoas e 141,7 bilhões de investimentos.

A faixa etária da maioria dos investidores (as) é entre 26 e 35 anos, em torno de 788,3 mil pessoas, que somam 20,8 bilhões aplicados. Entretanto, são os (as) investidores (as) maiores de 66 anos, em torno de 173,1 mil, que somam a maior quantia investida: 101,9 bilhões. Investidores (as) de até 15 anos formam o menor grupo, com 8,3 mil pessoas e 1,51 bilhões aplicados.

Agora que você já entendeu o que é bolsa de valores, ações e está por dentro da história da B3, vamos ao próximo passo, que é entender como entrar neste mundo da renda variável. Acompanhe!

Como investir em ações?

A sua primeira dúvida antes de se tornar um (a) investidor (a) pode ser em relação a quanto é necessário para investir na bolsa de valores? Mas saiba que não tem um valor mínimo para começar. O mercado de ações é bem democrático, e tem opções dos mais variados preços.

O ideal mesmo é começar aos poucos, enquanto você entende como funciona e vai ganhando mais segurança e habilidade com as estratégias. E conforme a sua evolução como investidor (a), você aumenta as suas aplicações, e consequentemente, os seus lucros.

Entenda o seu perfil de investidor (a)

O próximo passo após definir quanto você vai investir é entender qual é o seu perfil de investidor (a). Mas por que isso?

Bom, como o mercado de ações é muito volátil, você precisa tomar decisões de acordo com a sua tolerância a riscos, e é através do seu perfil de investidor (a) que você descobre isso.

É por meio do suitability que você descobre se o seu perfil de investidor (a) é conservador, moderado ou arrojado/ agressivo. Você está se perguntando agora o que é suitability, certo?

Suitability é um formulário que as corretoras utilizam para definir o perfil de investidor de cada pessoa, e assim oferecer as melhores estratégias de investimento. Nele, são questionados dados pessoais e financeiros, seu interesse por investimentos, tolerância a riscos e conhecimento sobre o mercado financeiro.

Portanto, entenda quais são os tipos de investidores (as):

Qual é o seu perfil de investidor?

  • Conservador: é aquela pessoa que coloca a segurança em primeiro lugar, logo, não se arrisca muito. Por isso, preferem investimentos de médio e longo prazo;
  • Moderado: o (a) investidor (a) moderado (a) é aquele (a) que diversifica as suas aplicações e tolera alguns riscos;
  • Arrojado / Agressivo: já o perfil agressivo é daquelas pessoas que entendem bastante de mercado financeiro e sentem-se seguras de assumir riscos altos com renda variável. Além disso, possuem um ótimo controle emocional para lidar com as chances de perdas.

Agora que você já conhece os perfis de investido, faça o nosso teste e descubra qual você se mais se encaixa:

Qual a melhor corretora para investir na bolsa de valores?

Agora é hora de escolher uma corretora de valores ou verificar se o seu banco oferece esse tipo de serviço.

Muita gente se pergunta qual é a melhor corretora para investir na bolsa de valores, mas dentre as muitas opções existentes no mercado, cabe a você decidir.

Faça bastante pesquisas e analise os pontos importantes antes fazer a sua escolha. Tenha em mente que uma boa corretora precisa ser consolidada, possuir uma boa equipe para te auxiliar sempre que for preciso e oferecer boas ferramentas, inclusive o Home Broker. Além disso, você precisa considerar as taxas de corretagem aplicadas.

Depois de concluir os passos citados, é hora de começar a investir na bolsa.

É recomendado que você comece diversificando a sua carteira, escolhendo diferentes setores para investir. Outra boa prática é escolher empresas blue chips, que já são consolidadas, portanto, mais previsíveis e com menor volatilidade.

Confira este vídeo simplificado da Carol Sandler, do Finanças Femininas, sobre como investir na bolsa de valores para iniciantes:

O que é Home Broker?

O Home Broker é a plataforma que conecta investidores (as), corretora e a bolsa de valores. Com ela, você negocia as suas ações pela internet, de onde estiver, de forma prática e segura.

O que é home broker?

Para usar o Home Broker, você precisa abrir sua conta em uma corretora, como já foi dito, e depois ativar a ferramenta. Com o Home Broker você pode começar a investir na bolsa de valores sozinho (a), com a vantagem de fazer as suas negociações de forma autônoma e direta, ganhando tempo, que é algo muito precioso no mercado de ações.

Existem diferentes modelos de Home Broker no mercado, que variam de corretora para corretora, mas todos têm as mesmas funções básicas que são:

  • Cotações em tempo real: as cotações de todas as ações ficam disponíveis para visualização em tempo real. Assim, você monta a melhor estratégia para as suas negociações;
  • Compra e venda de ações: permite que você venda e compre ações de forma simples, rápida e segura;
  • Acompanhar pedidos de ordem: após fazer uma venda ou compra, você pode acompanhar as suas ordens até que sejam executadas;
  • Dados administrativos: você acompanha a sua carteira de ações e o seu saldo financeiro.

Para usar o Home Broker com segurança, estude sempre sobre o mercado financeiro, escolha uma corretora de confiança e tome os devidos cuidados com sua privacidade na internet.

Quanto custa uma ação?

Você já viu que dá para investir na bolsa de valores com pouco dinheiro. Mas é importante que você saiba como são feitas as negociações.

As ações são negociadas em lotes que equivalem a 100 ações, sendo assim, você paga o valor total do lote. Por exemplo, se uma única ação vale R$ 1,00, então o lote custa R$ 100,00.

Também existem os lotes fracionados, que permitem a compra e venda menor do que 100 ações, e assim, dão mais chances aos (as) pequenos (as) investidores (as).

Além disso, existem outros custos e impostos, que são:

  • Taxa de Administração: cobrada proporcionalmente ao período e valor sobre os fundos de investimentos, independente do lucro ou prejuízo. Esta taxa destina-se a remuneração da gestão e administração do capital do (a) investidor (a);
  • Taxa de Corretagem: é cobrada pela corretora sempre que você compra ou vende uma ação. Mas algumas corretoras isentam essa cobrança;
  • Taxa de Custódia: é a taxa que a B3 cobra mensalmente para guardar as suas ações. Porém, algumas corretoras oferecem custódia gratuita;
  • Taxa de Emolumentos: também conhecida como taxa de negociação, é aplicada pela B3 nas transações de compra e venda de ações. O valor varia de acordo com o tipo de operação, tipo de investidor e valor aplicado. Há ainda a taxa de liquidação, ambas cobradas sobre o valor da operação;
  • Taxa de Performance: aplicada quando fundos de investimentos atingem uma rentabilidade acima das expectativas; como uma espécie de prêmio;
  • Taxa de TED: para investir, você precisa transferir o valor desejado da sua conta para a conta que abriu na corretora, e por isso é cobrada a taxa comum de transferência aplicada pelo seu banco;
  • Imposto de Renda (IR): investidores (as) que vendem mais de R$ 20.000,00 no mês, serão tributados (as) sobre os ganhos em 15% para operações normais e 20% para operações de Day Trade;
  • Imposto Sobre Serviço (ISS): cobra 5% sobre corretagem e emolumentos.

Quais são as formas de investir na bolsa de valores?

Existe mais de uma forma de investir na bolsa de valores. Conheça algumas delas que possibilitam a diversificação das suas estratégias:

  • Clube de Investimentos: é um grupo de pessoas que unem os seus recursos para investirem juntas, o que possibilita apostarem em um capital maior. Desta forma, dividem os lucros e perdas de acordo com o que cada uma investiu.
  • Compra direta de ações: são as negociações que você faz pelo seu próprio Home Broker. É a principal forma de investir em ações e também a mais rentável, já que todos os ganhos são seus.
  • Fundos de Índices: também conhecidos por ETFs (Exchange Traded Fund), são investimentos espelhados em algum índice, como o Ibovespa, por exemplo. O desempenho do seu investimento será de acordo com o índice.
  • Fundos de Investimento: são administrados por bancos ou corretoras. Quando você aplica em fundos de investimento, você adquire uma cota e lucra de acordo com a cota que possui, proporcionalmente ao desempenho do fundo.

Estratégias para investir em ações

Além das formas, também existem as estratégias para você ganhar dinheiro na bolsa de valores. Confira:

  • Aluguel de ações: geralmente feito com investimentos de longo prazo. Enquanto você espera as ações valorizarem, você pode alugá-las e obter rentabilidade nesse período. Confira o vídeo do Tiago Nigro, do Primo Rico, explicando tudo sobre aluguel de ações:
  • Contratos Futuros: esta é uma prática avançada, feita por quem já tem experiência com a bolsa. Investir em contratos futuros é investir em commodities (explicarei mais abaixo), índices como o Ibovespa, ou em moedas como o dólar.
  • Curto Prazo: estratégia para quem visa a valorização das ações em um prazo de até 2 semanas.
  • Day Trade: é usada por quem tem bastante experiência com o mercado de ações e assume altos riscos. No day trade você compra e vende ações ao longo de um dia, e tem lucros ou prejuízos dentro desse período.
  • Dividendos: além de receber pela valorização das ações, você também recebe dos lucros da empresa que são divididos entre todos (as) os (as) acionistas.
  • Longo Prazo: estratégia de quem investe em ações com a intenção de ganhar em meses ou anos, ou seja, a longo prazo.
  • Operar vendido: outra estratégia para quem já está experiente, é quando você acompanha o mercado e aposta na queda de um ativo, lucrando com isso. Um bom exemplo dessa manobra está no filme “A Grande Aposta”, no qual falarei mais a frente.
  • Valorização das ações: é a estratégia tradicional da bolsa de valores, quando você compra uma ação e espera que ela se valorize para depois vender e lucrar com isso.

Análise de Ações: fundamentalista x técnica

Analisar as ações nas quais você vai investir também faz parte de uma boa estratégia, porque assim você sabe o melhor momento para tomar uma decisão e diminui os seus riscos de perda.

Existem duas principais análises de ações e agora você vai entender a diferença entra elas.

  • Análise Fundamentalista

A análise fundamentalista avalia a saúde financeira de uma determinada empresa como um todo. Ou seja, como está a situação econômica, como a instituição está posicionada no mercado, como ela é administrada e quais as perspectivas para aquele negócio.

Os (as) traders fazem a análise fundamentalistas para apostas de longo prazo.

  • Análise Técnica

Já a análise técnica é muito utilizada pelos day traders, porque é a principal ferramenta para negociações de curto e médio prazo.

Com a análise técnica, os (as) traders avaliam o cenário mais provável para um período máximo de alguns meses através de gráficos.

O Breno Perrucho, do canal Jovens de Negócios fez um vídeo bem legal sobre análise de ação. Aperte o play:

Qual o horário do pregão da B3?

O horário de negociação do pregão regular da bolsa de valores brasileira encerra às 17:00, horário de Brasília. Após esse horário, o After Market fica disponível entre 17:30 e 18:00. Confira a tabela da B3:

Horário pregão B3

Horário Negociação de Ações
*Imagens capturadas em Julho/2020

Quais são os riscos de investir na bolsa de valores?

O mercado de ações oferece riscos, principalmente para aqueles (as) que não tem muito conhecimento sobre o que estão fazendo.

Nós fizemos um infográfico que pode ser o seu guia de alguns passos importantes que você precisa se atentar para começar a investir na bolsa de valores. Dá uma olhada:

Dicas para investir na bolsa de valores

Portanto, antes de começar a investir na bolsa de valores, é imprescindível que você estude muito, e busque conhecimento de todas as formas, como agora, lendo este artigo.

O conhecimento vai te fazer entender e agir com segurança diante dos riscos que existem ao investir em ações. Dentre eles, destacamos os principais que são o risco de desvalorização e o de liquidez:

  • Risco de desvalorização das ações: quando a empresa na qual você investe apresenta um mau desempenho, fazendo com que suas ações caiam.
  • Risco de liquidez das ações: quando você compra uma ação e depois não consegue vende-la, por falta de interesse de outros investidores (as).
  • Risco sistêmico: quando acontece um colapso de todo o sistema econômico, tal qual a crise de 2008 e a atual pandemia de coronavirus.

A Nathalia Arcuri fez um vídeo sobre os 5 passos para entrar com segurança na bolsa. Confira se você já está nesse momento:

Vocabulário básico da Bolsa de Valores

Ao longo deste texto, você viu diversos termos que podem ter ficado confusos na sua cabeça. Por isso, agora chegou a hora a entender o vocabulário do mercado financeiro, o chamado “economês”. Destaco aqui alguns termos comuns da bolsa de valores. Confira:

After Market: período extra para negociações, depois que o pregão do dia é encerrado.

Bearish: termo usado para dizer que a bolsa/ as ações estão caindo.

Blue Chip: ações das empresas grandes, tradicionais e consolidadas.

Bullish: termo usado para dizer que a bolsa/ as ações estão subindo.

Carteira: conjunto de investimentos de uma pessoa ou empresa.

Carteira Agressiva: conjunto de investimentos arriscados, composto principalmente por ações.

Circuit Breaker: quando a queda da bolsa está agressiva e as operações são suspendidas por um determinado tempo.

Commodities: são produtos básicos que não tem diferenciação e o seu preço é determinado em função da oferta e da demanda, como: gado, trigo, soja, entre soja.

Corretora de Valores: são instituições que fazem a intermediação com os seus investimentos.

Cotação: é o valor de determinado ativo no dia. Pode ser moeda, como o dólar, ações, títulos e mercadorias.

Custódia: garantia de segurança aos seus investimentos.

Day Trade: operações de compra e venda de ações em curto prazo, que começam e terminam no mesmo dia.

Liquidez: quanto maior a liquidez de um investimento, mais rápido você consegue tirar o seu dinheiro aplicado.

Marcação a Mercado: é o preço calculado diariamente de um determinado ativo.

Pregão: é o intervalo de tempo em que as ações são negociadas. Antigamente, existia o pregão viva-voz, aquela cena clássica dos investidores gritando no telefone.

Small Caps: ações de empresas menores, comparadas as Blue Chip.

Spread: diferença do preço de compra preço de venda de uma ação.

Stop Gain: ação que estipula um limite para você ganhar no dia.

Stop Loss: ação que garante que você não perca mais de 10% do valor investido, quando a bolsa está caindo.

Swing Trade: operações de compra e venda de ações com um prazo um pouco maior que o Day Trade, de até 5 dias.

Rentabilidade: o lucro que você obtém com um investimento.

Trader: a pessoa ou profissional que negocia ativos financeiros para uma empresa ou para si.

Dicas para aprender mais sobre o mercado de ações

Bom, você já viu que investir em ações não é tão complicado assim, e que o seu sucesso depende muito de estudos também.

Por isso, a seguir darei dicas de conteúdos que irão te ajudar a ficar ainda mais craque em finanças e investir melhor o seu dinheiro. Vamos lá?

Cursos para investir na bolsa de valores

A B3 tem uma página dedicada a educação financeira totalmente gratuita, a Hub de Educação Financeira. Nela você encontra conteúdos sobre ações e sobre o Ibovespa. Vale muito a pena conferir. Dentro do próprio site da B3, também tem material gratuito sobre o IPO.

O portal financeiro InfoMoney também tem uma área dedicada a cursos on-line em que você encontra diversos temas. Por exemplo, o curso Primeiros Passos do Trader Vencedor. Confira os demais aqui.

Já na Udemy, você encontra o curso Como Investir em Ações na Bolsa, por um valor muito acessível. O curso tem a nota 4.7 de 5, muito bem qualificado por quem já o fez.

Também tem o curso Investidor Mestre, do Eduardo Moreira, ex-banqueiro, que é bem completo sobre o mercado financeiro.

Livros sobre mercado financeiro

O bom e velho livro nunca pode faltar nos estudos, né? Então inclua esses livros sobre a bolsa de valores na sua lista:

  • O Investidor Inteligente: é um clássico obrigatório para todo mundo que quer entender sobre mercado financeiro e bolsa de valores.

O Investidor Inteligente

O Jeito Peter Lynch de Investir

O Jeito Warren Buffet de Investir

  • How to Trade in Stocks: esse livro é para você que tem facilidade com leitura em inglês. A obra traz conhecimentos de um dos maiores nomes de Wall Street, Jesse Livermore.

How to Trade in Stocks

Canais sobre finanças no YouTube

Você pode conferir alguns vídeos ao longo deste texto, que são de autoridades no assunto. Então, agora é hora de conferir bons canais para seguir no YouTube e aprender sobre investimento de uma forma mais dinâmica.

O Me Poupe! é o canal da Nathalia Arcuri, que apareceu duas vezes ao longo do post.
Com mais de 5 milhões de inscritos, conta com diversos vídeos sobre educação financeira. A Nath é muito divertida e explica tudo de maneira muito didática.

Este é o canal do primo Thiago Nigro, que também já apareceu ao longo do texto. São mais de 3 milhões de inscritos, e muito vídeo para te ensinar a investir e cuidar melhor do seu dinheiro.

O canal da Carol Sandler é menor do que os já citados até aqui, mas não menos importante. E o destaque do Finanças Femininas é que é focado, como o próprio nome diz, em educação financeira para mulheres.

Os conteúdos de finanças costumam ser muito patriarcais (o próprio índice de investidores (as) no Brasil mostrou a diferença no mercado como um todo, né?) por isso, mulheres que adoram esse mercado precisam conhecer os vídeos da Carol que são excelentes!

Jovens de Negócios é o canal do Breno Perrucho, um jovem que descomplica a educação financeira, tornando-a didática para todo mundo que quer aprender.

Outra Nath aqui nas indicações, agora é a vez da Nathalia Rodrigues, uma jovem administradora de 21 anos, que criou um canal de educação financeira focado em pessoas de baixa renda.

O Nath Finanças visa ajudar quem recebe 1 salário mínimo, estudantes, desempregados e estagiários, com vídeos divertidos e bem didáticos.

O canal do Murilo Duarte, Favelado Investidor, também tem como objetivo mostrar para as pessoas de baixa renda que é possível se educar financeiramente, investir e lucrar.

Com uma linguagem simples e que aproxima ainda mais os jovens da periferia, o canal conta com diversas playlists educativas.

Filmes sobre a bolsa de valores

E por que não um pouco de entretenimento nos estudos, né? Os filmes também são ótimas fontes de conhecimento, e filmes sobre a bolsa de valores vão além de O Lobo de Wall Street.

Por isso, você que quer aprender sobre ações, não pode deixar de assistir esses aqui:

  • Wall Street – Poder e Cobiça (1987)

Sinopse: Um jovem e ambicioso corretor é atraído pelo mundo ilegal e altamente lucrativo da espionagem empresarial ao ser seduzido pelo poder, status e magia financeira da lenda de Wall Street.

Disponível no Google Filmes.

  • Enron: Os Mais Espertos da Sala (2005)

Sinopse: Um estudo sobre um dos maiores escândalos corporativos da história dos Estados Unidos, em que executivos da Enron, a 7ª maior companhia do país, fugiram com bilhões de dólares e deixaram acionistas e investidores sem um único tostão. Através de depoimentos e gravações é mostrada como funcionava a hierarquia interna na Enron.

  • Quants: Os Alquimistas de Wall Street (2010)

Sinopse: A grande maioria da ações do mercado financeiro mundial são vendidas e compradas por decisões de programa de computador que levam milésimos de segundo.

Se nem mesmos as maiores autoridades do mundo que já trabalharam com os modelos matemáticos para calcular os riscos e o valor de um produto financeiro acreditam nesse sistema, porque a sociedade e os governos deveriam?

  • Grande Demais Para Quebrar (2011)

Sinopse: O banqueiro Richard Fuld, entre março e outubro de 2008, em meio a conversas com personalidades como Hank Paulson (secretário do Tesouro estadunidense), Ben Bernanke e Tim Geithner tenta salvar o Lehman Brothers. Durante as negociações, buscava-se uma solução privada envolvendo banqueiros de investimento e membros do Congresso para preservar a empresa sediada em Nova York.

  • Margin Call: O Dia Antes do Fim (2011)

Sinopse: Cortes em Wall Street fazem com que um dos demitidos deixe para trás um pen drive com dados sobre o risco de falência de sua empresa. Então, uma série de decisões financeiras e morais empurram a vida de todos os envolvidos em direção ao abismo.

Disponível no Prime Video.

  • Trabalho Interno (2011)

Sinopse: A crise financeira mundial que aconteceu em 2008, causou a perda de milhões de empregos e casas e mergulhou os Estados Unidos em uma profunda recessão econômica. Matt Damon narra um documentário que fornece uma análise detalhada dos elementos que levaram ao colapso e identifica peças-chave do mundo financeiro e político. O diretor Charles Ferguson realiza uma gama de entrevistas e traça a história dos Estados Unidos para a China para a Islândia e para outros mercados financeiros mundiais.

Disponível no Google Filmes.

  • A Grande Aposta (2015)

Lembra do filme mencionado na explicação de “operar vendido”? Então, olha ele aqui!

Sinopse: Em 2008, o guru de Wall Street Michael Burry percebe que uma série de empréstimos feitos para o mercado imobiliário está em risco de inadimplência. Ele decide então apostar contra o mercado investindo mais de um bilhão de dólares dos seus investidores. Suas ações atraem a atenção do corretor Jared Vennet que percebe a oportunidade e passa a oferecê-la a seus clientes. Juntos, esses homens fazem uma fortuna tirando proveito do colapso econômico americano.

Disponível na Netflix.

  • The China Hustle (2017)

Sinopse: A manobras financeiras fraudulentas não acabaram com a crise da bolsa em 2008, muito pelo contrário. Banqueiros usaram empresas na China para enganar mais investidores.

Disponível na Netflix.

  • O Mago das Mentiras (2017)

Sinopse: Em 2008, o corretor de ações e consultor financeiro Bernie Madoff é preso por cometer talvez a maior fraude financeira na história dos Estados Unidos.

Por fim, eu espero que este guia te ajude a entrar na bolsa de valores e começar a investir sozinho (a) em ações.

Ah, e depois dessa mega guia completo de como investir na bolsa de valores, temos outros dois conteúdos que você pode gostar: Aqui falamos algumas formas para você ganhar dinheiro extra e neste outro damos algumas dicas que podem te ajudar a economizar.

Comente aqui embaixo se ele foi útil para você, e também se faltou alguma informação que você gostaria de saber. E antes de sair, compartilhe nas suas redes sociais e grupos no WhatsApp para que mais pessoas aprendam como investir em renda variável.