Com o período de isolamento social por causa da pandemia de Covid-19 se estendendo para além do esperado, comércio e atividades antes não consideradas essenciais iniciaram processo de reabertura.

As academias são casos específicos que vêm chamando atenção. Fechadas por meses por serem consideradas espaços propícios à propagação do vírus, as empresas de ginástica estão retornando às atividades, aderindo aos hábitos do chamado novo normal.

Na penúltima semana de julho, uma das maiores redes do país voltou com grande parte de suas filiais, explicando aos clientes como será o funcionamento diante das atuais mudanças.

Estudos recentes mostram que as academias podem ser, de fato, ambientes menos perigosos para o contágio do que se pensava.

Um teste realizado pela Universidade de Oslo, nos meses de maio e junho, com perfis de grupos e rotinas de treinos físicos distintos, concluiu que não houve disseminação do vírus nas unidades pesquisadas.

Mas antes dos clientes tirarem as roupas fitness de academia do armário, há cuidados essenciais que não podem deixar de serem tomados por parte das academias e dos alunos.

Ações das academias para a volta dos treinos

Assim como comércios e empresas de diversos portes, as academias devem readaptar suas estruturas e normas de funcionamento durante a pandemia.

Cuidados que as academias estão tomando para a retomada dos treinos pós Covid-19

Não apenas por uma obrigação legal, já que muitos municípios só autorizaram a abertura daqueles que se comprometessem a respeitar as novas regras, mas como forma de proteger seus funcionários e clientes.

Também deve partir da academia a iniciativa de informar seus respectivos alunos sobre as medidas de segurança, assim como manter seus trabalhadores orientados, com acessos a todos os materiais de proteção necessários.

Caso o cliente perceba que sua academia não está tomando os devidos cuidados e precauções, o ideal é que procure outro estabelecimento ou dê preferência a atividades ao ar livre, que ainda são as mais seguras.

“As academias devem ter número reduzido de alunos e funcionários – preferencialmente com horários de aula com agendamento. Além disso, distanciamento entre alunos e professores, uso contínuo de máscara e higienização de aparelhos são medidas de segurança essenciais”, afirma a infectologista Mariana Cypreste.

Por isso, é imprescindível que todos estejam informados sobre as regras para que seja possível haver fiscalização também por parte dos clientes.

Marcação de horários

Em horários de pico, como no começo da noite, não é difícil ver os estabelecimentos cheios, com muitas pessoas dividindo o mesmo equipamento.

Isso não será possível no momento de reabertura. Uma das maiores mudanças nas academias é a marcação de horário para cada aluno, a fim de evitar aglomerações típicas deste ambiente.

Cada empresa poderá se organizar à sua maneira, mas muitas oferecem a opção de agendar o horário pelo site ou aplicativo. O importante é que os gestores garantam menos pessoas dentro do mesmo espaço.

Esse é um dos pontos mais importantes, uma vez que a infecção pelo vírus pode se dar não apenas pelo contato direto com o doente, mas por meio de superfícies e tecidos contaminados.

Qualquer objeto de uso coletivo ou pessoal, como a calça legging fitness de um aluno, pode ser um meio de transporte para o coronavírus.

Janelas e portas abertas

Por enquanto, fica no passado a tendência de academias fechadas e com ar condicionado potente. Mais do que nunca, permitir a circulação de ar é necessário. Portas, portões e janelas devem permanecer abertos.

Para manter a temperatura agradável, é possível que o ar condicionado continue ligado, mas é essencial que se higienize o aparelho com frequência ao longo do dia.

É necessário limpar também todos os aparelhos de musculação, máquinas, colchões e pesos.

Algumas academias contarão com horários de fechamento específicos ao longo do dia, para que os funcionários realizem limpeza.

Áreas bloqueadas

Além de evitar aglomerações, algumas áreas das academias permanecerão bloqueadas.

Academias estão trabalhando com áreas demarcadas para a volta dos treinos.

Vestuários, por exemplo, poderão ser fechados ou funcionar com capacidade reduzida.

Os bebedouros também não estarão disponíveis em muitas unidades, uma vez que necessita de contato próximo da boca e, por isso, tem grande potencial de promover infecção.

Dessa forma, além de o aluno checar direto com a academia como se dará o funcionamento, é aconselhado levar água e toalha de casa e programar horários em que seja possível ir para a casa direto, para evitar uso do chuveiro local.

Cuidados que devo ter para voltar para academia

Para além dos cuidados da própria academia, cada cliente deverá ter atenção e tomar precauções para não se contaminar, nem propagar a infecção do coronavírus.

Alguns desses pontos são tão importantes que se tornam também obrigatórios, caso o aluno realmente deseje frequentar a academia.

Higienização das mãos

A higienização constante das mãos é fundamental, por isso, há necessidade das academias disponibilizarem álcool 70% por todo o estabelecimento e o aluno deve estar atento a isso.

Limpar as mãos com álcool ou água e sabão é mais eficiente do que usar luvas, pois é a única forma real de eliminar o vírus.

“O uso de luvas não é recomendado em absoluto, já que acaba passando a falsa impressão de proteção, quando na verdade uma boa higienização de mãos já seria suficiente”, lembra Cypreste.

Máscara de proteção

A máscara de proteção se tornou item indispensável na hora de sair de casa para qualquer lugar e não será diferente com as academias.

Uso de máscara durante a prática de atividade física

As empresas estão sendo instruídas pelos governos das cidades a proibirem a entrada de qualquer cliente sem máscara.

Muitos argumentam que ela dificulta a respiração e, consequentemente, torna o exercício mais difícil. Nesse caso, aconselha-se optar por máscaras que abafem menos a região do rosto.

As de tecido, por exemplo, quando muito apertadas, afetam diretamente na respiração. Já as N95 são feitas para serem usadas por longas horas, causando o menor desconforto possível.

Ficar sem máscara não é opção, pois trata-se da melhor forma de proteger a si mesmo e aos outros.

“É essencial manter a máscara no rosto em todos os momentos, tampando nariz e boca. Também não se deve tocar na máscara. Caso aconteça, deve-se usar novamente álcool em gel 70% para higiene das mãos”, relembra a infectologista.

Evitar exageros

Muitos profissionais de educação física estão alertando quanto ao cuidado com os exageros nos exercícios.

A volta para a academia pode ter um impacto no corpo, mesmo para aqueles que se mantiveram ativos durante a quarentena. Para quem tendeu ao sedentarismo, o cuidado deve ser redobrado.

É importante retomar o ritmo aos poucos para não sobrecarregar o corpo.

E como utilizar máscara pode afetar a respiração, é indicado evitar exercícios muito pesados, ao menos no primeiro momento.

Bom, essas foram as nossas dicas para você voltar para a academia com total segurança. Conta pra gente, você já voltou para os treinos? Como está sendo a experiência?