Eleito em outubro de 2018, no segundo turno com 55% dos votos válidos, o presidente Jair Messias Bolsonaro completou um ano de seu mandato.

Analisamos de forma imparcial esse primeiro ano do governo e reunimos ao longo deste texto, alguns feitos da gestão Bolsonaro. Acompanhe!

Bolsonaro presidente do Brasil

Aprovação do governo pela população

Nos dias 05 e 06 de dezembro, 2.948 pessoas de 176 municípios foram entrevistadas pelo Datafolha a respeito do governo Bolsonaro.

Segundo a pesquisa, 30% dos entrevistados considera o governo ótimo ou bom ao fim do primeiro ano de mandato. Bolsonaro tem a pior aprovação em comparação ao mesmo período de governos anteriores: FHC teve 41%, Lula 42% e Dilma 59%.

Já a taxa de reprovação, que avalia o governo como ruim ou péssimo é de 36%, considerando a margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Avaliação do governo Bolsonaro

Presidente conectado

Bolsonaro é o primeiro presidente brasileiro a usar as redes sociais como principal meio de comunicação. Em seu Facebook, todas as quintas-feiras às 19:00 é transmitida a live do presidente, com pouco mais de uma hora de duração, falando sobre assuntos políticos e diversos.

O presidente Jair Bolsonaro também usa o seu perfil pessoal no Instagram e o Twitter para se comunicar e prestar contas sobre os feitos do governo.

Reforma da Previdência

A reforma da Previdência foi a prioridade de Bolsonaro em seu primeiro ano de mandato, por acreditar que esse seria o ponta pé inicial para começar a resolver os problemas do país.

Com a nova Previdência, nada muda para as pessoas que já são aposentadas. As novas regras se aplicam para quem irá se aposentar no futuro e conta com idade mínima para aposentadoria e um novo cálculo de contribuição com o INSS. Você pode entender tudo sobre a reforma da Previdência, clicando aqui.

O que é a reforma da previdência?
Fonte G1

Promessa é dívida!

Bolsonaro cumpriu a sua promessa de campanha de reduzir o número de ministérios, e o resultado foi de 29 para 22, com algumas fusões, incorporações e uma nova pasta. Neste infográfico você confere todas as mudanças.

A crise da Amazonas

O desmatamento da Amazônia não começou no governo Bolsonaro, mas foi em sua gestão que em outubro de 2019, registrou um aumento histórico de 212% em relação ao mesmo período no ano anterior, segundo o levantamento feito pelo Imazon – Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia. Em 2018, foram perdidos 187 km², já em 2019 esse número saltou para 583 km².

Dentre as áreas afetadas, o Pará é o estado mais prejudicado com 59% de área desmatada.

É importante ressaltar que o desmatamento é o resultado da remoção total da vegetação de uma área, para que ela vire pasto para gado. Já a degradação é a eliminação de árvores para o comércio de madeira e incêndios florestais.

Sendo assim, a degradação também aumentou em 394% este ano, passando de 125 km² para 618 km², comparando os períodos de outubro de 2018 e 2019. E neste caso, o estado mais afetado é o Mato Grosso, já com 74% de área degradada.

Novos Caminhos, o novo programa para ensino técnico

O MEC abandonou o antigo Pronatec e deu nova cara ao ensino técnico com o Programa Novos Caminhos que foca na educação profissional e tecnológica, voltada para alunos do ensino médio e jovens que nem estudam e nem trabalham.

Novos caminhos: novo programa para ensino técnico

A ideia é capacitar profissionais para o mercado de trabalho que encontra dificuldades para preencher vagas técnicas e assim aquecer a economia do país.

Novo processo para tirar CNH

Com o intuito de desburocratizar o processo de tirar a CNH, foram aprovadas algumas mudanças:

  • O simulador deixa de ser obrigatório e passa a ser facultativo, menos no Rio Grande do Sul;
  • Redução de 25 para 20 horas de aulas práticas nas autoescolas para a categoria B (carros). Para a categoria A (motos), são necessárias pelo menos 15 horas de aula. Para as duas categorias, é necessário ao menos 1 hora de aula no período noturno, o que antes eram 5 horas.
  • Até setembro de 2020, para conduzir um ciclomotor ou as famosas “cinquentinhas”, pode-se fazer as provas teoria e prática sem ter feito aulas. As aulas só serão obrigatórias para quem reprovar na prova. A partir de setembro, serão novamente exigidas, com horário reduzido de 20 para 5 horas e apenas 1 hora de aula noturna.

13° do Bolsa Família

Pela primeira vez, o benefício foi incrementado com o 13° salário do Bolsa Família e com isso, as famílias amparadas pelo programa tem direito a receber o valor em dobro no mês de dezembro.

Semana do Brasil

A Semana do Brasil foi criada para estimular o comércio nacional.

Semana do Brasil

Entre os dias 6 e 15 de setembro, houve um crescimento de 12% nas vendas físicas e 41% nas vendas online em relação ao mesmo período em 2018. A próxima Semana do Brasil está prevista para acontecer entre os dias 03 e 13 de setembro de 2020.

Status: em um relacionamento conturbado com os EUA

A relação entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente americano Donald Trump é tida como pessoal por parte do líder brasileiro, mas não tão pessoal assim para o líder da Casa Branca. E esse afeto um pouco desigual, resultou em concessões brasileiras com muitos benefícios aos EUA, mas em contra partida, houve pouco retorno por parte dos americanos. Listamos alguns dos casos:

  • Aumento nas tarifas de importação de aço e alumínio – que pode causar problemas ao setor brasileiro;
  • Após visita do presidente Bolsonaro a Washington, Trump disse que apoiava a entrada do Brasil na OCDE – Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, mas o apoio foi dado mesmo à Argentina e o Brasil ficou de fora;
  • Renúncia no tratamento especial e diferenciado nas negociações da OMC – Organização Mundial do Comercio;
  • Aumento na importação de etanol americano de 600 milhões para 750 milhões de litros a cota anual, com redução tarifária que beneficia os EUA;
  • Voto contra, junto aos EUA e Israel, a resolução anual da ONU que condena o embargo econômico americano a Cuba;
  • Permissão para que os americanos usem a base espacial brasileira de Alcantara, no Maranhão, para lançamentos de foguetes e satélites;
  • Isenção de visto para os americanos que querem entrar no Brasil a turismo. A isenção também é válida para turistas do Canadá, Austrália e Japão. Esta decisão foi unilateral, rompendo o princípio de reciprocidade, e os brasileiros ainda precisam de visto para visitar os mesmos países.

Donald Trump e Bolsonaro

Já para o governo americano, o Brasil se tornou “aliado preferencial extra-Otan”, nome usado para países que não são membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), mas que são aliados dos EUA e terão um relacionamento estratégico com as Forças Armadas americana.

Aumento de exportação de carne bovina para a China

Um surto de peste suína africana (PSA) afetou a China neste ano, e com isso aumentou o volume de exportação da carne bovina brasileira. A alta histórica do dólar também fez crescer a competição no mercado internacional pela carne brasileira. Com isso, diminuiu a oferta no mercado interno, enquanto a demanda permaneceu a mesma, causando o enorme aumento de mais de 30% nos preços para os brasileiros.

Adeus PSL

O presidente Bolsonaro se desfiliou do PSL, legenda pela qual venceu a disputa presidencial e lançou um novo partido, o Aliança pelo Brasil, que ainda está em processo de formação.

Aliança pelo Brasil - novo partido de Bolsonaro

Ufa! O texto é longo, mas chegamos ao fim dos pontos que optamos por destacar do governo Bolsonaro ao longo de 2019, e esperamos que 2020 seja um ano positivo para o nosso país.

E você, como avalia o governo do presidente Bolsonaro em seu primeiro mandato? Deixe nos comentários a sua opinião e vamos discutir sobre um Brasil melhor!