Durante a quarentena, diariamente, no mesmo horário, pai e filha saem fantasiados para jogar o lixo de casa, e encantam a vizinhança de Puertollano, na Espanha.

Segundo o El Pais, há quase dois meses, Jaime Coronel, 34 anos, estava arrumando o depósito de sua casa, quando encontrou uma fantasia do Olaf, o boneco de neve de Frozen, animação da Disney. Sua filha Mara de 3 anos, também o viu e os dois passaram a brincar fantasiados juntos. Foi uma maneira que encontraram para se distrair, durante a quarentena.

Ao chegar a hora de retirar o lixo, Jaime ainda estava fantasiado de Olaf e pensou: “Vamos fazer uma brincadeira”. Então, ele saiu vestido assim mesmo, coincidindo com o horário em que os vizinhos estavam em suas varandas, aplaudindo os profissionais da saúde, às 20:00.

Este pequeno gesto, alegrou o dia de sua esposa e de toda vizinhança, que filmaram e fotografaram o momento. Desde então, surgiu uma nova tradição em Puertollano: todos os dias, no mesmo horário, ele sai com uma fantasia diferente para despachar o lixo de casa.

A princípio, Coronel ia sozinho, vestido como um ladrão de La Casa de Papel, como o Coringa, como uma múmia, entre outras coisas. Mas como muitas crianças também se divertiam com o momento, logo ele começou a sair com uma filha.

Desde que Mara nasceu, os dois se fantasiam juntos no carnaval e no Halloween, como explica Jaime: “Como tínhamos as roupas à mão e tínhamos que ficar confinados em casa, tinha que dar um jeito da minha filha se distrair. Então, todos os dias nós nos vestíamos com uma fantasia diferente para jogar o lixo fora”.

29 dias com 29 fantasias diferentes

A brincadeira durou 29 dias e foram usadas 29 fantasias diferentes. Como eles não tinham tantas opções prontas em casa, algumas das fantasias foram feitas artesanalmente entre pai e filha. Os dois contaram ainda, com a ajuda da avó, que além de auxiliar de enfermagem, também é costureira.

Homenageados por profissionais da saúde

Em uma de suas últimas saídas fantasiados juntos, Jaime e Mara foram surpreendidos por profissionais da saúde que pararam a ambulância com as sirenes ligadas em homenagem aos dois.