Quem é que não assiste Netflix hoje em dia, não é mesmo? A gigante do streaming tem um catálogo recheado para todos os gostos, entre produções originais e outros títulos.

Você já parou para pensar em quantas séries da Netflix já assistiu? Bom, para mim essa pergunta é difícil de responder, porque eu já perdi a conta faz tempo!

Entre todos os muitos conteúdos que encontramos no catálogo, desde que a plataforma lançou a sua primeira produção original em 2013, a série “House of Cards”, os números não pararam de crescer e cada vez mais o streaming aposta em conteúdos próprios.

Nesse post você vai encontrar indicações de séries originais da Netflix para assistir, todas com as notas de avaliação do IMDb e separadas por gênero. Com certeza você já viu pelo menos uma delas, mas se estiver faltando alguma, vale a pena colocar na sua lista. Então, confira quais são! ?

As melhores séries originais Netflix para assitir!

Séries da Netflix baseadas em fatos reais

The Crown (2016 – )

Esta é a aclamada série biográfica da rainha Elizabeth II.

A produção de Peter Morgan e Stephen Daldry conta a história da filha do rei George VI (Jared Harris), falecido em 1952. Foi então que Elizabeth (Claire Foy) começou a participar da agenda política inglesa, e aos 25 anos de idade, assumiu o trono. Assim, acompanhamos a trajetória da rainha Elizabeth II, suas rivalidades, relacionamentos e eventos que fizeram a história.

“The Crown” foi inspirada na peça britânica “The Audience”, também de Peter Morgan, e é uma das séries mais caras da TV, sendo que, apenas na 1° temporada, seu orçamento foi em torno de US$ 130 milhões.

Seu elenco conta com nomes de peso, como Olivia Colman, Helena Bonham Carter, Charles Dance, Jared Harris, Tobias Menzies, entre outros.

A superprodução da Netflix conta com diversas premiações, entre elas o Globo de Ouro de Melhor Atriz em Série Dramática para Olívia Colman (2020) e Claire Foy (2017), Prêmio Sindicato dos Atores: Melhor Elenco de Série Dramática e Satellite Award de Melhor Ator em Série de Drama para Tobias Menzies. Além disso, ela também está concorrendo o Emmy 2020 como Melhor Série de Drama e outras categorias.

Estão disponíveis 3 temporadas e já foi confirmado que a série irá até a sexta. A 4° temporada de “The Crown” deve estrear no final de 2020.

Nota IMDb: 8.7

Mindhunter (2017 – )

Em 1977, dois agentes do FBI, Holden Ford (Jonathan Groff) e Bill Tench (Hold McCallany) planejam juntos desenvolver a primeira pesquisa norte-americana sobre a mente dos assassinos, com base na psicologia. Fato que os levaram ao termo que conhecemos hoje como serial killer. Para isso, eles precisam superar desafios e conquistar a confiança dos criminosos.

“Mindhunter” é baseada no livro de relatos de John Douglas e Mark Olshaker, sobre os anos em que passaram perseguindo serial killers e estupradores, estudando seus comportamentos para prever seus próximos crimes. Todos os criminosos apresentados na série são reais e interpretados por atores muito parecidos.

A produção original Netflix ganhou o Prêmio Satélite de Melhor Ator em Série de Drama em 2018, para Jonathan Groff e está em sua 2° temporada.

Nota IMDb: 8.6

Inacreditável (2019)

*Aviso de gatilho: a série e o texto a seguir referem-se a abuso sexual*.

A minissérie “Inacreditável” (Unbelievable – título original) foi baseada no artigo An Unbelievable Story of Rape, de T. Christian Miller, ProPublica e Ken Armstrong, coproduzido com o The Marshall Project, e vencedor do Prêmio Pulitzer de 2015.

A produção original Netflix deu nome fictício a todos os personagens, e foi dividida em duas partes: a primeira sobre a jovem Marie Adler (Kaitlyn Dever), vítima de abuso sexual, enquanto a segunda é sobre as detetives Karen Duvall (Merritt Wever) e Grace Rasmussen (Toni Collette).

Marie Adler, uma jovem órfã de 18 anos que vive em Washington, foi atacada por um estuprador em série enquanto dormia no seu apartamento. Quando chamou a polícia para denunciar o crime, ela foi surpreendida com o descaso pelo qual foi tratada.

Nem os detetives envolvidos no caso e nem mesmo as famílias adotivas que ela já teve, acreditaram em seus relatos. Sendo pressionada e coagida diversas vezes, e deslegitimada em todas elas, Marie acaba dizendo que inventou toda a história do estupro. Com isso, ela é processada por falso testemunho e o seu caso é arquivado.

Anos mais tarde, no Colorado, a detetive Karen Duvall ficou a frente de um caso de estupro de uma estudante que foi atacada em casa. Duvall fica sabendo pelo seu marido, também policial, que na cidade vizinha Westmisnter havia um outro caso parecido.

Foi assim que Karen Duvall conheceu a detetive Grace Rasmussen, que já tinha trabalhado em muitos casos de estupros, inclusive com relatos semelhantes entre si.

Juntas, as detetives começam a investigar a fundo o que esses casos têm em comum, até chegarem ao estuprador. Quando estão coletando provas, encontram fotos das vítimas, e entre elas, fotos de Marie. Somente assim, após anos sofrendo com as consequências do abuso sexual e também do descaso da polícia, que Marie teve sua história finalmente ouvida como verdade.

Além da série, o artigo do verdadeiro caso também deu origem ao livro “Falsa acusação – Uma história verdadeira”, dos mesmos autores.

“Inacreditável”, retrata uma história real que, infelizmente, não é um caso isolado. A produção recebeu dois prêmios: um Critics’ Choice de Melhor Atriz Coadjuvante em Filme ou Minissérie para Toni Collette, e o Peabody Award Entertainment. Além disso, está entre as indicadas a Melhor Minissérie no Emmy 2020.

Nota IMDb: 8.4

Olhos que condenam (2019)

Outra minissérie da Netflix baseada em fatos reais, assim como “Inacreditável”, “Olhos que condenam” (When they see us – título original) também fala sobre injustiça e é extremamente comovente.

Com apenas (porém intensos) 4 episódios, a minissérie conta a história dos “Cinco do Central Park”: Antron McCray, Kevin Richardson, Korey Wise, Raymond Santana e Yusef Salaam. Os cinco adolescentes menores de idade, do Harlem, que foram condenados por um crime que nunca cometeram.

O caso aconteceu na noite de 19 de abril de 1989, no Central Park, em Nova Iorque, quando Trisha Meili (Alexandra Templer), uma jovem de 28 anos, foi brutalmente atacada, assaltada e estuprada durante a sua corrida. Meili ficou gravemente ferida e permaneceu em coma durante 12 dias.

Nesta mesma noite, um grupo de adolescentes estava “causando” no parque, e entre eles estavam Antron (Caleel Harris), Kevin (Asante Blackk), Raymond (Marquis Rodriguez) e Yusef (Ethan Herisse). Quando a polícia encontrou o corpo desacordado de Trisha Meili, iniciou as buscas pelas redondezas, apreendendo os quatro meninos. Korey (Jharrel Jerome) não estava no local, mas acompanhou o amigo Yusef até a delegacia.

E é exatamente na delegacia que o pesadelo de fato começa. Os adolescentes são acusados pelo crime contra Trisha Meili, interrogados sem a presença dos pais ou advogados, e coagidos a assumirem o estupro. Assim, são condenados, mesmo sem provas.

Acompanhamos os julgamentos, quando os menores são mandados para reformatórios, enquanto Korey, o único com 16 anos, foi enviado diretamente para a cadeia. Vemos o período de detenção de cada um deles, até anos mais tarde, em 2002, quando o caso é reaberto devido a confissão do verdadeiro criminoso, Matias Reyes (Reece Noi).

A produção contou com um elenco adolescente e também com atores que protagonizaram a fase adulta dos personagens: Freddy Miyares (Raymond), Justin Cunningham (Kevin), Chris Chalk (Yusef) e Jovan Adepo (Antron). Jharrel Jerome foi o único que interpretou Korey nas duas fases.

A minissérie de Ava DuVernay recebeu diversas premiações, entre elas o Gotham Awards de Série Revelação, Emmy de Melhor Ator em Minissérie ou Filmes para Jharrel Jerome, Emmy de Melhor Elenco de Minissérie, Telefilme ou Especial e o Critics’ Choice de Melhor Minissérie.

Além da minissérie, você também encontra na Netflix o “Especial Oprah Apresenta: Olhos que condenam”, que traz uma conversa com os “Cinco do Central Park”, o elenco e produtores.

O título também está entre as nossas indicações de séries e filmes sobre racismo.

Nota IMDb: 8.9

Séries de comédia da Netflix

Orange is The New Black (2013 – 2019)

Piper Chapman (Taylor Schilling) é sentenciada a 15 meses de prisão, pelos crimes cometidos há mais de uma década para sua ex-namorada traficante. Sua sentença é cumprida na Penitenciária Feminina de Litchfield, onde ela faz amizades com outras detentas, e inimizades também. Para sua surpresa, Chapman encontra sua ex cumprindo pena no mesmo lugar.

Inspirada no livro bibliográfico de Piper Karmen, “Orange is the new black” foi a terceira produção original da Netflix, depois de “House of Cards” e “Hemlock Grove”.

Segundo a Variety, a série é a produção original mais assistida da Netflix, tendo 105 milhões de espectadores.

Ao longo de suas 7 temporadas, “Orange is the new black” recebeu diversos prêmios, incluindo o do Sindicato dos Atores de Melhor Elenco de Série de Comédia.

Nota IMDb: 8.1

Arrested Development (2003 – )

Originalmente, “Arrested Development” era uma série da Fox, e foi cancelada pela emissora em 2006. Apesar de premiada, ela não atingia uma boa audiência e então se tornou uma produção cult, com uma legião de fãs. Entretanto, em 2013 a Netflix adquiriu os direitos do seriado e produziu novos episódios como uma “semi-produção”, passando depois a produção original.

Os Bluth, uma rica família californiana, perde toda a sua fortuna quando uma investigação judicial prende o patriarca George Bluth (Jeffrey Tambor). Com isso, Michael Bluth (Jason Bateman) assume a responsabilidade dos negócios e também de manter a família unida.

Entre os muitos prêmios que a série já levou, um deles foi o Emmy de Melhor Série de Comédia.

Nota IMDb: 8.7

Master of None (2015 – )

A série de Aziz Ansari fez o maior sucesso no ano de seu lançamento e continua entre as mais queridinhas do streaming.

Dev (Ansari) é um ator de 30 anos, que vive em Nova York e sabe exatamente o que quer fazer para o resto de sua vida. Acompanhamos a sua rotina pessoal e profissional, com seu eclético grupo de amigos, abordando os mais diversos temas dessa fase de nossas vidas.

“Master of None” tem inspiração na própria vida de Ansari e é considerada como uma das melhores comédias da Netflix. Possui diversas premiações, como: Emmy de Melhor Roteiro em Série de Comédia, Globo de Ouro de Melhor Ator em Série de TV, Comédia ou Musical para Aziz, Critics’ Choice de Melhor Série de Comédia e Peabody Award – Entertainment.

Com apenas 2 temporadas, a série segue em hiato desde que Aziz se afastou dos holofotes, após ser acusado de abuso sexual.

Nota IMDb: 8.3

O método Kominsky (2018 – )

Do mesmo criador de “Two and a half man” e “Big Bang theory”, Chuck Lorre, “O método Kominsky” é uma sitcom original Netflix com uma história que vai te fazer rir e se emocionar ao mesmo tempo.

O bem sucedido professor de teatro Sandy Kominsky (Michael Douglas) é um homem talentoso que se consagrou como um grande ator de Hollywood. Já o seu agente e melhor amigo Norman Newlander (Alan Arkin) não tem uma vida tão glamurosa assim. Juntos, eles enfrentam os desafios da velhice com muito bom humor.

Após 42 anos longe de produções para a TV, Michael Douglas está de volta nessa série que vale muito a pena entrar na sua lista.

“O método Kominsky” já conquistou dois Globos de Ouro, o de Melhor Série de Comédia ou Musical e o de Melhor Ator em Série de TV para Douglas. Além disso, está indicada nas mesmas categorias na premiação do Emmy 2020.

Sua terceira e (infelizmente) última temporada já foi confirmada, mas ainda sem muitos detalhes, devido a paralização nas produções por causa da pandemia de coronavírus.

Nota IMDb: 8.2

Séries de drama da Netflix

House of Cards (2013 – 2018)

Esta foi a primeira série com produção original Netflix e que consagrou a plataforma de streaming, mostrando do que ela era capaz.

O congressista norte-americano Frank Underwood (Kevin Spacey), é traído pelo presidente que ajudou a eleger. Depois disso, ele e sua esposa Claire (Robin Wright) fazem de tudo para derrubar adversários políticos e alcançar, dentro de alguns anos, a presidência dos EUA.

“House of Cards” foi um fenômeno que conquistou diversos prêmios, entre eles o Globo de Ouro de Melhor Ator e Atriz em Série Dramática para Kevin Spacey e Robin Wright.

A trama da série foi afetada depois que Spacey foi demitido do elenco e da plataforma, devido a diversas acusações que recebeu sobre abuso sexual. A história sofreu algumas alterações, contudo, não perdeu o posto de uma das mais aclamadas produções da Netflix.

Nota IMDb: 8.7

Narcos (2015 – 2017)

A série que estreou o ator Wagner Moura na Netflix, e que deixou todos (as) os (as) fãs com a icônica fala de Pablo Escobar na cabeça: “¿Plata o Plomo?”.

“Narcos” é baseada nos cartéis colombianos, em toda a violência e poder envolvidos. Conta sobre a vida e a morte de Pablo Escobar (Moura), chefe do Cartel de Medellín e um dos maiores narcotraficantes da história. Além disso, Escobar também era conhecido por ajudar as pessoas mais necessitadas.

A série recebeu diversas indicações em 2016, como o Globo de Ouro de Melhor Série Dramática de TV e Melhor Ator em Série Dramática para Wagner Moura, além do Emmy de Tema de Abertura.

Nota IMDb: 8.8

Godless (2017)

Considerada por muitos como uma obra-prima da Netflix, a minissérie “Godless” traz uma história de faroeste diferente de todas que já fizeram antes.

Com apenas 7 episódios, a produção se passa no século 19, no Novo México, em La Belle que é uma cidade majoritariamente habitada por mulheres, devido a um acidente que levou a morte de todos os mineiros que residiam por lá. Por esse motivo, a cidade é tida como indefesa. Frank Griffin (Jeff Daniels) é um bandido implacável e está à procura de Roy Goode (Jack O’Connell), um desertor do seu bando, jurado de morte. Roy está escondido no rancho de Alice Fletcher (Michelle Dockery), e nas suas buscas, Frank Griffin acaba chegando em La Belle. Se engana quem pensa que as mulheres não sabem defender sua cidade.

A produção de Scott Frank foi meramente baseada em fatos reais. Não se trata de uma história específica, mas sim de cidades de mineradores que, em decorrência de algum acidente, morriam todos de uma só vez. Isso fazia com que muitas mulheres abandonassem as cidades, enquanto outras se reorganizavam e resistiam, como na minissérie.

“Godless” conquistou dois Emmys: Melhor Ator e Atriz Coadjuvante em Minissérie ou Telefilme, para Jeff Daniels e Merritt Wever, respectivamente. Ela está entre as nossas indicações de séries para ver depois de “Anne with an E”.

Nota IMDb: 8.3

Ozark (2017 – )

Após se envolver com um cartel mexicano, Marty Bird (Jason Bateman), um consultor financeiro, se muda com a sua família de Chicago para uma comunidade de resort de verão nos arredores do lago Ozark, Missouri. Ele e sua esposa Wendy (Laura Linney) precisam lavar dinheiro para quitar a dívida com os traficantes e salvar a pele de toda família.

“Ozark” é considerada, atualmente, como uma das melhores séries da Netflix.

Aclamada por público e crítica especializada, a produção original já conquistou um Emmy de Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática para Julia Garner, e um Prêmio Sindicato dos Atores: Melhor Ator em Série Dramática para Jason Bateman. Além disso, está indicada em várias categorias do Emmy 2020, como a de Melhor Série de Drama.

Nota IMDb: 8.4

La Casa de Papel (2017 – )

Um grupo de ladrões apelidados com nomes de cidades e mascarados de Salvador Dalí, se tranca com reféns na Casa da Moeda da Espanha, para executar o maior roubo da história. Tudo foi minuciosamente planejado pelo Professor, o líder do bando, mas a polícia vai fazer de tudo para que o plano perfeito fracasse.

La Casa de Papel” se tornou um fenômeno mundial e é a série de língua não inglesa mais vista da Netflix. Tal sucesso originou o especial “La Casa de Papel: Él Fenómeno”.

A série espanhola já levou diversos prêmios, como um Emmy Internacional de Melhor Série Dramática, além do recente Prêmio Platino de Melhor Minissérie ou Filme para TV Ibero-Americano.

Atualmente, a série se encontra em seu 4° ano. Se você já maratonou tudo, confira as nossas teorias sobre a 5° temporada de La Casa de Papel.

Nota IMDb: 8.5

Narcos: México (2018 – )

Teoricamente, essa seria uma continuação de “Narcos” (2015), como se fosse uma 4° temporada. Porém, “Narcos: México” foi apresentada como uma continuação independente.

Dessa vez, é apresentada a ascensão do Cartel de Quadalajara, nos anos 80, com o comando de Félix Gallardo (Diego Luna), que promovia a unificação do tráfico, a fim de construir um império mexicano. Por outro lado, o agende do DEA, Kiki Camarena (Michael Peña), acaba de se mudar para a cidade com a sua família e vai assumir as investigações dos narcotraficantes locais.

A nova saga “Narcos” ganhou o Prêmio Platino de Melhor Interpretação Masculina em Minissérie ou Telessérie para Diego Luna, e está em sua 2° temporada.

Nota IMDb: 8.4

Séries Teen da Netflix

Stranger Things (2016 – )

Claro que este fenômeno não ficaria de fora de uma lista com as melhores produções originais Netflix, né?

“Stranger Things”, a série que se passa nos anos 80 e que agrada gente de todas as idades, se tornou uma febre entre o público e revelou uma série de novos talentos.

A história dos irmãos Duffer nos leva para a pequena Hawkins, Indiana, e nos envolve em um misterioso caso: o desaparecimento de Will Byers (Noah Schnapp), um garoto de 12 anos. A partir de então, o xerife Jim Hopper (David Harbour), a família e os melhores amigos de Will passam a procurar por ele. Nessa busca, eles encontram a Eleven (Millie Bobby Brown) e descobrem um sinistro laboratório local onde é feito um experimento secreto do governo, além de forças sobrenaturais.

Não só a trama, como também todo o elenco de “Stranger Things” é muito querido, o que faz a série estar entre as mais populares da Netflix. Ah! Não posso me esquecer de mencionar a trilha sonora que é maravilhosa e perfeita para pessoas que adoram um clássico oitentista. Aqui no blog já contamos porque a série faz tanto sucesso.

“Stranger Things” já ganhou diversos prêmios, entre eles, os mais recentes são: People’s Choice Award: Série Favorita, Peabody Award – Entertainment e Satellite Award de Melhor Gênero de Série. Além disso, está entre os indicados a Melhor Série de Drama no Emmy 2020.

Na Netflix, além das 3 temporadas, você também encontra “O Universo de Stranger Things”, um especial com bate papo com o elenco, criadores e produtores.

Nota IMDb: 8.8

Sex Education (2019 – )

O jovem Otis (Asa Butterfield) é filho de uma sexóloga, logo entende tudo sobre o assunto – na teoria. Ele ainda não perdeu sua virgindade, mas é tido como um especialista do sexo pelos seus colegas. Por isso, ele e a Maeve (Emma Mackey), a rebelde da escola, montam a própria “clínica” de aconselhamento sexual para ajudar os jovens e lucrar com isso, claro.

“Sex Education” é uma série teen ousada e muito incrível. A trama inteira trata de assuntos como sexo, sexualidade, aborto e outros temas de maneira muito natural. Não é à toa que, logo de cara, se tornou uma das queridinhas no catálogo da Netflix.

A produção inglesa tem 2 temporadas e já foi renovada para uma 3°.

Nota IMDb: 8.3

Séries de ficção científica da Netflix

Black Mirror (2011 – )

Isso é muito Black Mirror”, quem não disse ou ouviu alguém dizer isso, ao menos uma vez, quando se deparou com alguma tecnologia avançada?

Isso porque, a série antológica da Netflix traz episódios surpreendentes sobre os efeitos da tecnologia na nossa vida.

“Black Mirror” não foi uma série criada pela Netflix, mas sim pelo canal britânico Channel 4. Suas duas primeiras temporadas e o especial de natal são originais deste canal. Foi em 2015 que a plataforma de streaming comprou os direitos da série, e a partir de então, os episódios se tornaram originais Netflix.

Cada episódio tem um impacto diferente, e provocam reflexões diferentes sobre a nossa relação com a tecnologia. A série já recebeu diversos prêmios, entre eles dois Emmys de Melhor Telefilme para “Uss Callister” e “San Janipero”.

Além das 5 temporadas, a plataforma também conta com o filme interativo “Black Mirror: Bandersnatch”.

Nota IMDb: 8.8

Dark (2017 – 2020)

Recentemente, a primeira série alemã da Netflix chegou ao seu final, se consagrando como uma das melhores produções originais do streaming.

As famílias Nielsen, Kahnwald, Doppler e Tiedemann vivem em Winden, uma cidadezinha alemã bem tranquila (aparentemente!). Porém, quando uma criança desaparece, a vida de todos se transforma. A busca por respostas revela um complexo mistério envolvendo três gerações, além de viagens no tempo e acontecimentos trágicos que sempre se repetem.

Vencedora do Prêmio Grimme-Preis, o mais importante da TV alemã, “Dark” também foi eleita a melhor série original da Netflix, através de uma votação organizada pelo Rotten Tomatoes, que contabilizou 2,5 milhões de votos, sendo 110 mil deles para a produção.

“Dark” foi concluída com 3 excelentes temporadas que vão embaralhar a sua cabeça. Se você já terminou, confira a nossa lista com indicações de séries e filmes para matar a saudade, e essa outra só com filmes sobre viagem no tempo.

Nota IMDb: 8.8

Séries de animação da Netflix

BoJack Horseman (2014 – 2020)

Uma das animações adultas mais aclamadas da Netflix, “BoJack Horseman” é conhecida por proporcionar muitas reflexões sobre a vida.

BoJack (Will Arrnett) é um cavalo humanoide, que foi uma grande estrela de Hollywood, quando protagonizou uma sitcom nos anos 90. Hoje, porém, ele busca retomar a carreira com a ajuda de seus amigos Todd (Aaron Paul), um humano e Princesa Caroline (Amy Sedaris), uma felina e sua ex-namorada. BoJack tem problemas de auto estima e afoga as mágoas com álcool e relações fracassadas.

A produção conquistou um Critics’ Choice de Melhor Série Animada e está completa com 6 temporadas.

Nota IMDb: 8.7

Love, Death + Robots (2019 – )

A animação sci-fi produzida por Tim Miller (Deadpool) e David Fincher (Clube da Luta), é uma série antológica dedicada ao público adulto, com temas envolvendo, como o nome sugere, amor, morte e robôs, além de sexo e violência.

Seus 18 episódios, que variam entre 6 e 17 minutos de duração, foram baseados em contos literários de ficção científica de autores renomados do gênero, como Peter F. Hamilton, John Scalzi, Alastair Reynolds, Ken Liu, Joe Lansdale e Marco Loos. O estilo da animação também varia entre os episódios, indo do tradicional 2D ao photo-real 3D CGI, em que parecem atores reais.

“Love, Death & Robots” foi uma das grandes séries premiadas da Netflix no Emmy 2019, levando 5 troféus, entre eles o de Melhor Série Animada de Curtas.

A série de animação já foi renovada e uma segunda temporada está por vir.

Nota IMDb: 8.5

Séries de terror da Netflix

A Maldição da Residência Hill (2018 – )

Após a caçula da família se suicidar, os irmãos Crain voltam a casa onde viveram a infância. A visita, porém, revive memórias de um passado traumatizante e cheio de horror. A casa, atualmente, é considerada a mansão mais mal-assombrada dos Estados Unidos.

“A Maldição da Residência Hill”, elogiada série de terror da Netflix, foi inspirada na obra “A assombração da casa da colina”, de Shirley Jackson.

Com a 2° temporada já confirmada, a série seguirá de maneira antológica com o novo título de “A Maldição da Mansão Bly”, e está prevista para estrear ainda em 2020.

Se você gosta do gênero, confira as nossas indicações com as melhores séries de terror para assistir.

Nota IMDb: 8.7

E então, qual dessas séries originais Netflix é a sua preferida? E qual você ainda não assistiu? Conta tudo para gente nos comentários. ?