Você vai morar na Europa? Que chique!

Acho que todo brasileiro que foi estudar fora ou decidiu morar no velho continente já ouviu essa frase um dia.

Não sei bem de onde veio essa ideia. Talvez por influência de filmes, livros e atualmente a internet, tenhamos adquirido o costume de romantizar o estilo de vida europeu. Imagina-se a vida como num filme de Woody Allen, com pessoas sofisticadas degustando vinhos caros num rooftop com vista para a Torre Eiffel. Mas será que isso faz sentido?

Morar na Europa é chique? Estilo de vida europeu.

No estilo de vida europeu, você limpa sua própria casa.

Bom, pra começar, aqui na Europa é muito comum que os jovens saiam cedo da casa dos pais, geralmente para dividir apartamento com outras pessoas, começando assim uma vida mais independente antes de se tornar adulto.

E como independência vem com responsabilidades, cuidar da casa é a primeira delas. Aqui é bem menos frequente quem tenha diarista ou faxineira. A maioria dos europeus limpa a própria casa, e o principal motivo é o custo. Não é barato ter alguém para ajudar com as tarefas domésticas, e geralmente esses profissionais não ganham tão menos do que alguém “de escritório”, gerando assim uma diferença social bem menor do que estamos acostumados. Esse é felizmente um dos fatores que mais contribuem para a questão da segurança nesses países.

(E como você pode imaginar, as casas também não são assim aquele exemplo de limpeza, como estamos acostumados no Brasil!)

Esse texto do blog Ducs Amsterdam, que já rodou bastante a internet, fala um pouquinho sobre isso.

Alternativas sustentáveis para o carro

E o transporte? Se chique é ter um carrão e usá-lo até pra ir à padaria, esqueça! É claro que muita gente tem carro aqui, mas a grande maioria opta pelo transporte público no dia-a-dia. São vários os motivos que os fazem deixar o “conforto” do carro de lado. O custo e a qualidade do serviço são alguns deles, mas há também a questão do estacionamento, que costuma ser um problema até nas grandes capitais. De forma geral, as cidades européias são mais orientadas para pedestres do que para carros.

Outra opção de transporte que vem crescendo cada vez mais é a bike! Em muitas cidades há programas de aluguel de bicicletas como o Bike Sampa, as ciclovias são frequentes e a relação entre duas e quatro rodas são bem amigáveis.

Os jovens em especial estão buscando soluções que além de não pesar nos bolsos, também os proporcione uma vida mais ativa e saudável, o que nos leva a outra característica da vida na Europa, todo mundo faz exercício!

Ok, “todo mundo” é um pouco utópico, mas posso dizer que a grande maioria pratica algum tipo de esporte regularmente. E embora existam academias, as pessoas se aproveitam muito dos lugares públicos. Mesmo nos dias frios de inverno é possível ver gente correndo nos parques ou nas margens dos rios. Que coragem!

Europeus fazem muito exercício ao ar livre

Mais consciência na escolha das roupas

Esse lifestyle mais simples também é visível na aparência dos europeus. É claro que cada nacionalidade tem suas particularidades e que cada ser humano é único e tem suas individualidades, mas de modo geral eles são menos consumistas do que outras nações, como os norte americanos por exemplo.

Eles não deixam de consumir, mas buscam comprar peças de maior qualidade e consequentemente as usam por mais tempo. Mesmo que tenham um furinho ou uma manchinha, eles não as descartam tão cedo!

Sem falar nos brechós, que vendem peças de ótima qualidade e bons custos, gerando assim um ciclo mais consciente de consumo. Um dos mais interessantes é o Kilo Shop, em Paris. O conceito deles é vender roupa usada ou “vintage” por quilo. Cada peça tem uma etiqueta com uma cor que equivale a um determinado valor por peso, após fazer suas escolhas você as pesa e paga o preço correspondente.

View this post on Instagram

Vous connaissez notre nouveau corner @paddockparis ?

A post shared by Kilo Shop France (@kiloshopfrance) on

E é assim com as crianças também. Se vai pra aula de artes e voltar todo sujo, pra quê colocar uma roupa nova, né?!

Vejam esse vídeo da Maxine Bédat no Ted Taksx (vale a pena perder os 18m e 12s). É bem esclarecedora sobre o ciclo nocivo do consumo desenfreado em redes de fast fashion.

Relação trabalho X vida pessoal

Um outro ponto interessante é a relação deles com o trabalho. É uma relação estritamente profissional. De maneira geral os europeus cumprem seu horário de trabalho sem horas extra desnecessárias, não costumam ter seus empregos como assunto principal numa mesa de bar e não abrem mão das férias por nada nesse mundo!

Acho que a questão principal é que a relação das pessoas com a cidade e o valor que dão à qualidade de vida é bem diferente. As casas não precisam ser grandes ou estarem perfeitamente arrumadas todos os dias, eles tem as praças e parques para aproveitar os momentos de lazer. O cabelo das mulheres não precisa estar sempre feito e as unhas perfeitas, elas as vezes preferem usar esse tempo pra cozinhar para os amigos, tomar uma taça de vinho no fim da tarde ou passear com o cachorro.

É claro que a vida na Europa não é um mar de rosas, inclusive nem entro nas questões políticas e econômicas, onde assim como no Brasil, também há muita coisa errada. Mas tal como existem muitas coisas que eles poderiam aprender com a nossa brasilidade, na minha visão, se tem algo que podemos aprender com eles é a viver de uma forma mais leve.

Então, respondendo a pergunta do início do texto, morar na Europa não é chique, é simples. E simplicidade pode trazer mais felicidade do que luxo!

Esse video do canal do Kartoffel Salat no Youtube resume de forma muito bem humorada a ideia que quis passar aqui.

Se você gostou dessas dicas, pode conferir vários outros conteúdos no meu blog pessoal, o Quero Ir Lá. Ah, compartilhem as suas experiências na Europa comigo, é só comentar nesse post. Vou ficar muito feliz! 😀