Mulheres não precisam de motivos para serem admiradas, dá licença, obrigada. No entanto, algumas atitudes simples ainda chocam a sociedade e precisamos falar sobre elas! Confira aqui 7 motivos para admirar mulheres de cabelo raspado e não se chocar quando vir alguma na rua.

Como pode, em pleno 2020, existir quem defenda cabelo curto só em homem. Uma coisa tão simples e pessoal quanto a escolha de um corte de cabelo não deveria causar polêmica! Porém, só as mulheres que já rasparam a cabeça sabem a paciência necessária para manter o corte.

Pensando nisso, entrevistamos 6 super-mulheres que rasparam a cabeça e toparam compartilhar com a gente sentimentos, preconceitos, aprendizados e muitas outras coisas!

As perguntas feitas foram:

  1. Quando decidiu assumir o estilo e raspar o cabelo?
  2. O que te motivou?
  3. Já sentiu algum momento não ser aceita ou já foi julgada por ter escolhido raspar o cabelo? Como foi isso pra você?
  4. Qual recado gostaria de deixar para as mulheres?

Vamos as respostas de cada uma delas:

Beatriz Camargo (20 anos) – @aalvesb

Beatriz Camargo

  1. Decidi faz 1 mês mais ou menos.
  2. Minha maior motivação foi assumir o meu cabelo natural. Alisava o cabelo desde os 10 anos de idade e também já não me reconhecia mais. Queria voltar a me sentir segura de mim e empoderada.
  3. Já sim, como eu tinha um cabelo longo as pessoas me questionavam o porque. Falavam que eu iria me arrepender e já chegaram até a questionar minha sexualidade por conta do meu cabelo. Eu simplesmente ignorava esses comentários. Já sabia desde do início que não são todas as pessoas que estão habituadas a ver mulheres negras que se amam do jeito que é.
  4. Meu recado é que as pessoas sempre vão nos julgar por algum motivo então por que deixarmos de ser nós mesmas? Por que deixamos de ser feliz e respeitamos nossas vontades?
    Enquanto você se amar, se achar bonita os comentários vão ser irrelevantes e muitas pessoas irão te admirar.

Manuella Schimpl (16 anos) – @manuschimpl

Manuella Schimpl

  1. Raspei meu cabelo há pouco menos de um ano.
  2. Meu cabelo sempre foi grande, se me levassem para cortar eu CHORAVA. Minha orelha era de “abano”, eu me sentia feia e tinha medo dos outros verem e falarem sobre isso.
    De repente, surgiu a oportunidade de fazer uma cirurgia pequena (por um projeto), se chama otoplastia, então fui. Depois que fiz a cirurgia eu fiquei bem comigo mesma, me achava linda do jeitinho que eu estava.
    Então cortei meu cabelo no ombro, depois experimentei tranças, raspei a lateral, até que chegou um dia que raspei logo tudo, até porque, “se EU não gostar, um dia cresce”.
  3. Sou julgada sim, na rua e até mesmo por pessoas próximas. As pessoas olham e falam. Mas hoje eu me sinto eu mesma, essa sou eu e nenhum olhar, e nem mesmo um comentário me abala mais, porque eu me encontrei e sou feliz assim.
  4. O recado que eu gostaria de deixar é justamente esse, corram atrás de vocês mesmas. Raspe, corte, faça de tudo até você se olhar no espelho e finalmente dizer:
    “Essa sou eu!”
    Vocês são lindas, nós somos lindas.
    E a última coisa é: Não estou incentivando a cirurgia para se sentir bem, foi o meu caso, eu precisei dela para abrir meus olhos e me dar coragem. Mas vocês são lindas do jeitinho de vocês. E nada mais importa, se quiser fazer cirurgia faça, se não, NÃO PRECISA. O importante é vocês se sentirem bem e serem livres. ❤️

Eline Vingllia (17 anos) – @elinevingllia

Eline Vingllia

  1. Vai fazer 1 ano e dois meses que já tenho o cabelo raspado. Foi quando eu quis me ver de outro jeito e ser uma pessoa diferente da sociedade e descobrir a minha beleza!
  2. O que mais me motivou foi saber que iria quebrar tabus e mostrar para todo mundo que mulher não tem que ser padrão, não tem que ser moldada pela sociedade e que ela tem o livre-arbítrio de fazer o que bem entender com o próprio corpo.
  3. Simmm, muito! O pior é que a maioria das vezes foi por mulheres! Eu me senti horrível! Saber que mulheres não apoiam uma as outras, ficam colocando pra baixo, falando que mulher não pode ter cabelo curto….muito triste!
  4. Se vocês tem esse sonho de raspar a cabeça ou tem vontade….não pense duas vezes só vaiiiii, e não pense que você vai deixar de ser menos mulher por ter o cabelo raspado, porque eu mesma me sinto mais mulher agora do que antes com o cabelo todo cacheado! E digo mais, não só me sinto mais mulher como também me sinto mais…
    Empoderada: por ser diferente do que a sociedade é acostumada!
    Feliz: por me olhar no espelho e me sentir bem comigo mesma!
    Guerreira: por ouvir piadas de mal gosto e não abaixar a minha cabeça!

Elysa Nascimento (20 anos) – @elysa_ncm

Elysa Nascimento

  1. Eu comecei entrar nessa onda de cabelo curto já faz uns anos, sempre gostei por achar mais prático e sexy também (mesmo as pessoas achando que perdi minha feminilidade, eu sinto que quanto mais curto mais eu ganho ela). Comecei me aventurando no pixie e depois resolvi raspar por autoconhecimento mesmo. Eu queria conhecer esse meu lado, queria me ver de verdade e olha pra essa mulher que havia em mim, porque ela é muito mais que só um cabelo.
  2. O que me motivou foi aquela coisa clichê de que só se vive uma vez pra não se conhecer a fundo e se conectar consigo mesma. Pode ser um simples corte de cabelo pra muitas pessoas, mas pra quem raspa é sempre muito mais do que isso, é poder, é conexão, é amor próprio.
  3. Apesar de ter todo esses esteriótipos de que “mulher tem que ter cabelo grande”, não, nunca sofri nenhum julgamento de pessoas próximas de mim, todas me aceitam do jeito que eu sou e acho que é muito isso sabe? Se rodear de pessoas que te amam independente de como você esteja.
  4. O recado que eu gostaria de dar é: Viva! Viva o que tiver vontade, o que der na telha, improvisado, pensado, calculado. Faça o que te faz feliz, o que vem com o coração, o que for de verdade.
    Mulheres que descobrem sua força e descobrem que podem ir além sempre serão julgadas, porque uma mulher bem resolvida consigo mesma é menos uma mulher que o patriarcado terá controle, e isso incomoda. Então continue se amando e incomodando. ✊♀️

Stela Cavalheiro (31 anos) – @stelacavalheiro

Stela Cavalheiro

  1. Decidi raspar no dia 1 de abril desse ano, ou seja, uma decisão bem recente.
  2. Como trabalhei muitos anos na área de eventos, costumava manter os cabelos longos, pois era o “padrão” de mulher esperado pelos clientes na hora de escolherem as recepcionistas dos eventos.
    Nessa área é assim, se o cliente não te escolhe, não tem job, logo, não tem cachê e se você vive disso, acaba por escolher o visual padrão (cabelo comprido, sem tatuagens, manequim 38).
    Quando comecei a trabalhar fixo, com carteira assinada e tal, a primeira coisa que fiz foi correr pro cabeleireiro e pedir pra cortar meu cabelo na altura dos ombros (eu literalmente entrei no primeiro salão de beleza que encontrei aberto).
    […]
    Foi aí que tomei gosto por cortar as madeixas. Então ia quase uma vez por mês no cabeleireiro e pedia pra cortar mais ainda. E quanto mais cortava, mais me enxergava e me sentia maravilhosa, dona das minhas próprias escolhas!
    Quando decidi raspar, só peguei a máquina do meu marido e cortei tudo!
    Foi engraçado, pois quando olhei para o meu reflexo no espelho do banheiro, foi como se me sentisse pela primeira vez!
    E dei risada de mim. Pois percebi que naquela hora eu era eu mesma. Nua, de cabelo raspado, com tatuagens, mas o principal: Me sentindo MARAVILHOSA exatamente daquele jeito! E ali, me amei mais!
  3. Já fui sim, mas nada de mais. Afinal, eu sabia que minha decisão iria chocar as pessoas (embora eu não tenha feito isso para chocar ninguém). Portanto não me incomodo com os olhares curiosos por onde passo, as pessoas estão acostumadas com o que é comum e o incomum causa estranheza.
    A certeza de que meu novo visual incomum é resultado de uma escolha minha, sem o filtro dos olhos alheios, me enche de autoestima, me empodera e projeta a minha personalidade, coisa que pra mim é muito importante.
    Nunca mais quero ser padrão dos outros e sim de mim mesma, pois adorei ser diferente!
  4. Convido a todas as mulheres que tem vontade de raspar o cabelo, se questionem: “Quanto das decisões que tomei até hoje, foram realmente minhas?”
    Tenho certeza que a resposta as libertará!
    E finalizo dizendo que, quer você queira ter o cabelo “comprido sereia”, colorido, chanel, pixie ou raspado, que essa decisão seja realmente sua!
    Cabelo cresce e temos a liberdade de mudar quantas vezes forem necessárias!

Luiza Yoshizumi (18 anos) – @luyoshizumi

Luiza Yoshizumi

  1. Decidi aderir esse estilo em Março deste ano, um pouco antes de fazer 18 anos.
  2. Eu estava enfrentado uma queda do meu cabelo pelo uso de medicamentos, passei um pouco antes uma fase muito difícil de depressão, então foi principalmente uma forma de me reinventar.
  3. Com certeza já, vindo mesmo da própria família, é muito comum as pessoas fazerem comentários negativos ou mesmo os olhares julgando!
    Pra mim no início foi difícil lidar com os comentários, mas quanto mais o tempo passa, mais eu me vejo sendo eu mesma e me amando cada vez mais, não tenho mais espaço pra críticas.
  4. Para todas as mulheres que têm vontade ou a necessidade de raspar o cabelo uma coisa é certa: Você não ficará menos feminina nem menos atraente, quando você ama a si mesma, o cabelo passa a ser só um acessório e nada mais importa, você é linda com ou sem o seu cabelo, independente do seu estilo!
    Passo essa mensagem com muito amor pra todas que têm ou querem ter o cabelo raspado, é libertador e me sinto muito mais bonita assim! ❤️

Gostaram das respostas? Inspirador, não é mesmo?

Mas calma que a gente tem muita mais conteúdo pra vocês! Vamos trazer 7 motivos para admirar mulheres de cabelo raspado. Confira.

A maior parte da população ainda estranha, recrimina ou se assombra com a “coragem” de uma mulher por raspar o cabelo. Vamos à pergunta mais básica:

Coragem por quê?

– Porque é um corte “masculino”?
– Porque ela perdeu a “moldura” do seu rosto?
– Porque perdeu sua feminilidade?
– Porque perdeu a versatilidade do cabelo?
– Porque é uma mudança muito radical?
– Porque o corte é definitivo?
– Porque a mulher vai ter que aguentar comentário sem noção durante meses?

Eu voto na última hipótese.

A body piercer Beatriz Almeida, 20, contou pra gente que viveu isso na pele recentemente. Logo que raspou, ouviu comentários como:

– “Mulher tem que ter cabelo grande”;
– “Mas você vai deixar assim sempre agora?”
– “Se eu fizer isso que você fez meu namorado me larga”;
– “Você tem muita coragem, só não faço porque meu marido não ia gostar”.

Gostaria de ressaltar minha preocupação quanto aos dois últimos comentários. As mulheres, sem perceber, reproduzem a ideia de que devem prestar contas a qualquer indivíduo, especialmente seus parceiros.

“Isso quando não passam a mão sem pedir permissão e falam que é igual de homem” – Beatriz.

Felizmente, as novas gerações estão vindo com tudo para mostrar quanto o mundo enriquece com a quebra de padrões e, principalmente, de preconceitos.

Assim como fizemos no post sobre moda agender e homens de saia, segue aqui nossa pequena contribuição sobre o tema!

7 motivos para admirar mulheres de cabelo raspado

1) São seguras de si

Olha, pra aguentar comentários como esses acima todos os dias, segurança é o que não falta. E paciência.

Mulheres seguras de si

As mulheres que decidem raspar suas madeixas sabem o que irão enfrentar (embora possam não ter noção da dimensão da coisa). Porém, o compromisso delas é com elas mesmas. Suportar um comentário sem noção ou outro não é nada perto da felicidade de se sentir plena.

Achou feio? Não importa. Acha masculino? Não importa. Prefere comprido? Não importa. Só importa que EU me olho no espelho e me vejo LINDA.

2) Vivem neste século

Nesse mundo louco que estamos vivendo, cada minuto economizado vale ouro. Um cabelo raspado é a maior mão na roda para quem tem uma rotina louca, está sempre com pressa ou não tem paciência para muitos cuidados. Por isso, o corte é bastante associado ao estilo minimalista, urbano e de slow living. Sem contar o grunge, que combina perfeitamente!

Mulheres Estilosas

E nem preciso falar sobre a modernidade do corte, né? Se ainda hoje mulher de cabelo raspado choca a sociedade, imagina décadas atrás. De verdade quero acreditar que este é o futuro: cada um com o estilo que quiser, sem diferenciação de gênero ou preconceito algum.

3) Não têm medo de se arrepender

Quantas vezes não perdemos uma grande oportunidade por medo de arriscar?

De repente raspar o cabelo não é o anseio da sua vida, mas, se for, pense bem o que está impedindo você:

– Se vai ficar bom no seu rosto;
– O medo da opinião alheia;
– O medo da opinião de pessoas próximas (namorado, mãe, pai…).

Olha, o primeiro item pode ser resolvido com algum editor de imagem. Os outros… bom, quem ama você quer que você seja feliz, certo?

4) São bonitas porque sim

Muita gente define o cabelo como a “moldura” do rosto. Existem cortes para afinar, alongar, arredondar… e a cabeça raspada, que não modela nada! Pelo contrário, ela coloca o rosto em evidência, ressaltando a sua beleza. Pura e simples.

Mulheres Independectes

Então, não tem isso de “ah, ela é bonita porque o cabelo é assim, a maquiagem é assado”. Ela é bonita porque é e não há onde (nem por que) se esconder.

O cabelo é sim parte importante de você, mas não tenha medo de cortar! Não importa qual escolha tome (curto, médio ou longo) faça isso por amor, não guiada pelo medo. A liberdade é algo muito maior. 😉

5) Não temem a mudança

A vida é mutável, inconstante, cheia de indas e vindas. Ter medo de mudança é quase o mesmo de ter medo de viver! Tudo vai mudar uma hora ou outra, então, o melhor é abraçar essas oportunidades para encontrar sua essência.

Mulheres que tomaram a decisão de raspar o cabelo e estão felizes com ela nos inspiram a abraçar quem queremos ser.

Muitas mulheres que raspam o cabelo afirmam ter tomado a decisão num momento em que ansiavam por mudança. Quem sabe esse não é o empurrãozinho que está faltando para você ser quem sempre quis?

6) Têm estilo próprio e um ótimo senso de moda

Modernidade, praticidade, estilo único, vaidade, tudo isso pode estar MUITO presente nas mulheres de cabelo raspado. A ausência do cabelo em volta do rosto evidencia a maquiagem, as sobrancelhas, os acessórios… você inteiro fica em destaque!

Mulheres sem medo de mudança

Além disso, a ousadia do corte geralmente se reflete nas roupas, que refletem muita personalidade e liberdade. Por falar em liberdade…

7) Vivem a própria LIBERDADE

Uma das palavras mais recorrentes neste artigo é medo, medo, medo… medo é exatamente o oposto de liberdade!

Cada vez que você deixa de fazer algo que deseja por medo de se arrepender, você abre mão da sua liberdade. Você vira escravo de uma realidade que nem existe e pode nunca existir.

Tomar uma decisão é um prazer. Realizar um desejo é um prazer. Essa sensação de estar no controle é um prazer. Porque você sente que está sendo você mesmo, não o que esperam de você.

Mulheres que vivem a liberdade

E aí, você também admira as mulheres de cabelo raspado? Se não, aprendeu a admirar um pouco mais? Já tem cabelo raspado? Ou está morrendo de vontade de raspar?

Se não gostar do resultado: cabelo cresce. Juro pra você. 😉