Na última semana, a notícia de que um juiz autorizou, em liminar, que psicólogos fornecessem “tratamento” para pessoas LGBT chocou o país. Afinal, tal tipo de atuação era proibida desde 1999 pelo Conselho Federal de Psicologia, nove anos depois da OMS deixar de considerar a homossexualidade uma doença. A noção de que tanta gente ainda encare a orientação sexual alheia como algo que necessite de “cura” inspirou a gente a fazer uma lista de filmes LGBT imperdíveis para abrir a cabeça e exterminar o preconceito de vez.

5 filmes LGBT para curar seu preconceito:

Moonlight (2016)

Filmes LGBT - Moonlight

Dirigido por Barry Jenkins, “Moonlight” é muito mais do que o último vencedor do Oscar. Com maestria, o filme aborda questões de raça e sexualidade nos Estados Unidos moderno dentro da perspectiva de Chiron, um jovem morador da periferia de Miami que torna-se traficante de drogas. Sem perder o fio da meada, o longa metragem acompanha infância, adolescência e vida adulta de Chiron. A atuação de Mahershala Ali lhe rendeu o prêmio da Academia de melhor ator coadjuvante, mas o resto do elenco não deixa nada a desejar. Nas palavras do crítico do jornal “The Guardian” Mark Kermode, “Moonlight” não é nada menos do que “uma sinfonia do amor”:

Nesses tempos incertos, precisamos de contadores de história como Jenkins mais do que nunca — pessoas capazes de transformar
um conto de conflito e adversidade em uma sinfonia do amor

Paris Is Burning (1990)

Filmes LGBT - Paris is Burning

Ao contrário do que o título pode indicar, este documentário de 1990 não se passa na capital francesa. Ao invés disso, a decadente Nova York dos anos 80 é o cenário do filme de Jennie Livingston. Com apenas 23 anos, a cineasta foi uma das primeiras a começar a filmar a cena underground LGBT da cidade, formada em boa parte por negros e latinos. Em cena, pioneiros em bailes de drag queen de Nova York, responsáveis por criar vários elementos da cultura gay moderna, compartilham suas experiências e refletem sobre a sua condição perante a sociedade. O resultado é emocionante. Em uma entrevista de 2013 ao “Buzzfeed“, Jennie Livingston explicou que os bailes drag daquela época eram, na visão dela, um microcosmo de algumas das maiores questões enfrentadas por excluídos da sociedade americana.

Todas as coisas que James Baldwin escrevia sobre estavam no baile. Como construímos nossa identidade? Como vivemos em uma sociedade consumista sem ter acesso às coisas? Como amamos a nós mesmos quando você não se parece com o que a sociedade diz que você deve parecer?

Milk (2008)

Filmes LGBT - Milk

Se “Paris is burning” é um fragmento histórico da luta LGBT, “Milk”, por sua vez, é a cinebiografia de um de seus maiores ativistas, e um dos filmes LGBT mais ricos já produzido. Dirigido por Gus Van Sant, o filme conta a história de Harvey Milk, primeiro político abertamente gay a ser eleito na Califórnia, em 1977. O bairo do Castro, hoje um dos locais mais simbólicos de resistência da comunidade LGBT, é o cenário do longa, responsável por uma das atuações mais marcantes da carreira de Sean Penn. Conforme sintetiza o crítico de cinema Roger Ebert:

Sean Penn nunca tenta mostrar Harvey Milk como um herói e nunca precisa. Ele o mostra como um homem normal, gentil, engraçado,com defeitos, sagaz, idealista, ávido por um mundo melhor. Ele mostra o que um homem comum é capaz de conquistar.

Philadelphia (1993)

Além de ter rendido o primeiro Oscar de melhor ator de Tom Hanks, “Philadelphia” também foi pioneiro ao levar a epidemia da aids para o mainstream. O filme, que ainda conta com Denzel Washington, é baseado na história real dos advogados Geoffrey Bowers e Clarence B. Cain. Ambos foram demitidos por suas companhias por terem contraído o vírus e, em seguida, foram à justiça lutar contra a descriminação.

Filmes LGBT - Philadelphia

Vencedora do Oscar de melhor canção, a música Streets of Philadelphia foi criada por Bruce Springsteen a pedido do diretor Jonathan Demme, que queria usar a popularidade do astro rock para fazer com que pessoas que normalmente não se interessariam por um filme sobre um homem gay fossem aos cinemas.

Carol (2015)

Filmes LGBT - Carol

Enquanto os filmes anteriores fornecem um olhar sobre alguns marcos da luta LGBT, “Carol” retrata um romance proibido entre duas mulheres no começo dos anos 50, antes que a revolução sexual e o fortalecimento dos movimentos sociais permitisse levar o assunto para a arena política com maior força. Baseado no livro semi-autobiográfico de Patricia Highsmith, o filme conta a história de amor entre a socialite Carol Aird (Cate Blanchett) e jovem fotógrafa Therese Belivet (Rooney Mara). Enquanto Carol tenta se divorciar, seu marido, um empresário, usa a homofobia como arma para impedir que o romance entre as duas.

Você tem algum filme LGBT pra indicar e tentar ajudar a eliminar o preconceito? O que você achou da decisão polêmica que aconteceu essa última semana? Conta pra gente!